Bachelet declara área de desastre no norte do Chile

Intenção é "controlar a ordem pública e evitar situações de saque e desordem, e colaborar com as autoridades da região nos trabalhos de ajuda, que já começaram"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
undefined

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, declarou como área de desastre as regiões de Arica e Parinacota e de Tarapacá, que ficam ao norte do país.

A primeira região ficará sob o comando do brigadeiro do Exército Miguel Alfonso Bellet e a segunda ficará sob as ordens do general da Força Aérea Arturo Merino Núñez.

A intenção, disse Bachelet, é "controlar a ordem pública e evitar situações de saque e desordem, e colaborar com as autoridades da região nos trabalhos de ajuda, que já começaram".

A presidente elogiou o fato de o alerta de tsunami ter sido emitido de um modo veloz e afirmou que se observou uma retirada ordenada das pessoas na região costeira do Chile. Ela pediu que os habitantes das zonas afetadas mantenham a calma e sigam as instruções das autoridades.

Até o momento, foram registradas cinco mortes após o terremoto de magnitude 8,2, segundo medição do Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

O epicentro do terremoto ocorreu a 95 quilômetros a noroeste da cidade chilena de Iquique, mas o tremor também foi sentido no Peru e na Bolívia. Mais cedo dezenas de milhares de pessoas deixaram suas casas ao longo dos quatro mil quilômetros de zona costeira do Chile.

Após o impacto inicial, outros 23 tremores foram registrados, todos com intensidade mais fraca e com epicentro no mar, segundo o jornal local emol.

A publicação também afirmou que o clima está mais calmo e que os serviços básicos estão sendo gradualmente restabelecidos.

Leia tudo sobre: terremotochiledesatre