Em crise financeira, Botafogo joga pela vaga na Libertadores

Salários atrasados provocou protesto no elenco do clube carioca, mas jogadores garantem concentração máxima contra a Unión Española

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Eduardo Húngaro conversa com o grupo alvinegro antes de partida decisiva
Divulgação/Botafogo
Eduardo Húngaro conversa com o grupo alvinegro antes de partida decisiva

Com salários atrasados e em clima de protesto no elenco, o Botafogo encara a Unión Española nesta quarta-feira, a partir das 19h45, no Maracanã, tentando garantir a classificação antecipada às oitavas de final da Libertadores. Para tanto, basta uma vitória simples diante do adversário chileno. Mais do que a vaga nas oitavas de final da competição continental, uma vitória garantirá à equipe de General Severiano a primeira colocação de sua chave. Líder do Grupo 2 com sete pontos, o time do técnico Eduardo Hungaro abriria quatro pontos de vantagem sobre a própria Unión Española, que tem seis, e não teria mais como ser alcançado por ninguém na última rodada da fase de classificação - Independiente Del Valle (Equador) e San Lorenzo (Argentina) estão com os mesmos cinco pontos. Para a partida desta quarta-feira, o Botafogo não poderá contar com três titulares. Suspensos, o volante Gabriel, o lateral-direito Edilson e o atacante Ferreyra dão lugar a Bolatti, Lucas e Henrique. Mas o principal problema é mesmo o clima de instabilidade vivido pelo clube por causa das dificuldades financeiras. No último treino antes da partida, os jogadores voltaram a protestar contra os salários atrasados. Antes da atividade, eles ficaram sentados por cerca de 10 minutos no gramado, repetindo atitude tomada nos trabalhos de sábado e de segunda-feira. Apesar da crise interna, o elenco do Botafogo promete dedicação máxima para conseguir a vitória sobre a Unión Española e, com isso, garantir a vaga antecipada na Libertadores.

Leia tudo sobre: botafogosalario atrasadolibertadoresunion espanola