Para beneficiados, lei compensa perda

iG Minas Gerais |

Entre os servidores que podem ser atingidos pela ação judicial, o clima é de insegurança. O presidente do Sindicato dos Servidores de Itaúna, Pedro Miguel Rodrigues, 60, diz que a lei foi uma forma de ajudar esses funcionários. Eles foram transferidos para o INSS e saíram do sistema previdenciário do município, ao qual são incluídos os concursados.

“No Instituto Previdenciário de Itaúna, a pessoa aposenta com o salário integral. Já no INSS, temos muitos descontos. Garantir nosso emprego até os 70 anos foi uma recompensa”, afirma. “Estamos apavorados. Muita gente pode ser prejudicada”, lamenta ele, que tem 41 anos de casa.

“Ficamos apreensivos, mas otimistas. É injusto a prefeitura tomar essa atitude depois que as pessoas já estão acostumadas”, afirma Maria Aparecida Medeiros, 56. Ela se aposentou há cinco anos, depois de 36 trabalhados. Ela foi recontratada e continua na ativa. (TT)

Regime

Previdência. Os servidores que têm estabilidade têm os mesmos direitos dos concursados. Eles recebem reajuste salarial, férias-prêmio, gratificações natalina e por tempo de serviço.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave