Para melhorar o seu negócio

iG Minas Gerais |

Tenho uma pequena empresa atuando no ramo do vestuário. Acontece que, devido à nossa ingerência, esquecemos de um fato importante, a liquidez da mesma (fluxo de caixa), e nunca pensamos em investimento. Na realidade, não sei se estamos “vivos” por teimosia ou milagre. Gostaria de receber algumas dicas. Artur / Juiz de Fora - MG Arthur, a gestão financeira de uma empresa é muito importante. A importância cresce, pois ela lida com os recursos financeiros e esses são escassos. E, quanto mais escasso um recurso, maior a importância de sua gestão. Outra razão que aumenta ainda mais a necessidade de uma boa gestão financeira é a grande dependência de toda a empresa em relação aos recursos financeiros. São como o sangue da organização. Quando bem geridos são capazes de vitalizar todos os outros setores da empresa. Mas, quando mal geridos, podem contaminar todos os demais departamentos. Pesquisas do Sebrae mostram a falta de gestão financeira ou os resultados de uma má gestão como as principais causas da mortalidade das empresas no Brasil. Para evitar essa dura realidade, o único caminho é melhorar o controle financeiro da empresa. E como se faz isso? Adotando algumas ferramentas de controle que irão ajudar o empreendedor no levantamento de informações e como consequência aumentará o grau de assertividade na tomada de decisões. A primeira ferramenta é o mapeamento de receitas e despesas, também conhecido como DRE (Demonstração do Resultado do Exercício). Nessa ferramenta, o empresário deve levantar a receita em um determinado período (normalmente mês) e todas as despesas necessárias para a obtenção dessa receita. Receita menos despesa mostrará o resultado da empresa. Sendo positivo é conhecido como lucro. Se for negativo, é conhecido como prejuízo. O mais importante é não se esquecer de nenhuma despesa. É muito comum, por exemplo, se considerar somente os salários dos trabalhadores. Mas esse não é o único custo mensal relacionado à mão de obra. Existem os encargos sociais como FGTS, 13º salário, férias, aviso prévio. Em uma empresa optante pelo simples, os encargos ficam em torno de 35% da folha de salários. Através da DRE, o empresário passa a conhecer melhor sua estrutura de custos. Quais são os itens mais significativos e, portanto, aqueles que ele deve ter uma atenção maior. A segunda ferramenta é o fluxo de caixa. Ele mostra a entrada e saída de recursos financeiros na empresa. Para o fluxo de caixa, mais importante que o momento em que a venda é feita, é o momento em que ocorre o recebimento dos clientes. O fluxo de caixa vai mostrar a capacidade da empresa de gerar recursos financeiros suficientes para honrar seus compromissos. E o empreendedor saberá com antecedência os momentos de falta ou sobra de recursos no caixa. E poderá estudar as melhores estratégias para evitar a falta de recursos ou mesmo para evitar que recursos fiquem parados no caixa da empresa. Neste mês, continuo com a promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave