Liminar impede venda de duas obras

iG Minas Gerais | Bárbara Ferreira |

A Justiça concedeu uma liminar que impede a comercialização, a transferência e a retirada do território nacional de duas imagens sacras que tiveram autoria atribuída a Aleijadinho. De acordo com inquérito civil instaurado pela 5ª Promotoria de Justiça de Conselheiro Lafaiete, na região Central de Minas Gerais, as obras de arte que atualmente compõem uma coleção particular no Estado de São Paulo, na verdade são originárias de Rio Espera, na mesma região mineira.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) solicitou estudo para comprovar a origem das imagens, que desapareceram da paróquia de Rio Espera há décadas. Durante o inquérito, as duas herdeiras foram ouvidas e afirmaram que as obras foram adquiridas pelo pai delas de comerciantes de arte.

Pendência. Enquanto a ação tramita na Justiça, de acordo com o MPMG, a liminar garante que as esculturas de Nossa Senhora do Carmo e de São Luiz Rei de França permaneçam no país e com as atuais proprietárias.

Somente depois da decisão final é que as obras de arte poderão ser devolvidas à paróquia no interior de Minas Gerais.

Prazo

Validade. O pedido foi feito pelo Ministério Público em 29 de janeiro deste ano, e a liminar é de 24 de março. Ela vale enquanto o processo tramita na Justiça e aguarda o julgamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave