Suspeitos de homicídios e tráfico de drogas são apresentados em BH

iG Minas Gerais | Da redação |

A equipe da 6º Delegacia de Homicídios Noroeste apresentou na manhã desta terça-feira (1º), no Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP), quatro suspeitos do homicídio que vitimou Davdison Gonçalves da Silva Oliveira Rocha, de 26 anos. O crime aconteceu no dia 11 de dezembro de 2012, no bairro Paquetá, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Entre os envolvidos está o chefe do tráfico na região, Marcos Gomes dos Santos, o Marquinhos Pulmão, de 38 anos, o gerente do tráfico, Edson Pereira da Silva, o Macalé, de 33, Luiz Felipe Amâncio dos Santos, o Guilde, de 21, e Paulo Henrique Márcio de Souza, o Baby, de 23. De acordo com o delegado que coordenou as investigações, Delmes Rodrigues, o grupo acreditava que Davidson era um informante da polícia. A suspeita teve início depois que a Polícia Militar (PM) começou a fazer rondas na região, acabando com a realização de bailes funks organizados por Marcos Gomes com o intuito de vender drogas.

Gomes é o mandante do crime e a função de Edson Pereira era distrair Rocha até que o trio chegasse com a arma. A vítima foi perseguida até um lote vago na Vila Paquetá e executado com oito tiros. De acordo as investigações, Davdison era cobrador e não tinha antecedentes criminais. Ele residia no Bairro Ouro Preto, mas costumava ir à Vila Paquetá por causa de uma ex-namorada.

Os quatro suspeitos foram indiciados e irão responder por associação para o tráfico e homicídio duplamente qualificado, quando o motivo é fútil e com recurso que impossibilite a defesa da vítima. Eles estão presos preventivamente e aguardam julgamento.

Antecedentes criminais

A polícia já havia cumprido mandado de prisão contra Marcos Gomes no dia 15 de janeiro pela morte de Thiago Marques Pereira, assassinato no dia 9 de fevereiro do ano passado. Luiz Felipe e Edson foram presos no dia 13 de março, na Vila Paquetá, e Paulo Henrique no dia 26 do mesmo mês, no bairro Xangrilá, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Além do assassinato de Thiago Marques, Marcos Gomes também é acusado de matar o pai de Edson Pereira durante uma briga. Ele também possui registro na polícia por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas. Luiz Felipe também tem envolvimento na morte de Thiago Marques e registro por tráfico de drogas. Edson Pereira possui registro na polícia por roubo e Paulo Henrique por roubo e tráfico de drogas.  

Leia tudo sobre: crimepoliciasuspeitosapresentadospaquetabelo horizontecontagem