Médica que mandou cortar o pênis do ex-noivo desembarca em BH

Mulher estava escondida no interior de São Paulo, mas, foi encontrada na manhã desta terça-feira (1º) pela Polícia Civil

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A médica Myriam Priscilla de Rezende Castro, de 34 anos, pesa em São Paulo, chega a Belo Horizonte, na noite desta terça-feira (1º). A mulher é condenada a cumprir pena de seis anos de reclusão por ter contratado dois homens para cortar o pênis do ex-noivo, que havia rompido o relacionamento com ela três dias antes do casamento. A médica teria se mudado para a cidade paulista de Pirassununga, para escapar da prisão.

Myriam foi encontrada pela Polícia Civil de Minas Gerais no interior de São Paulo na manhã desta terça-feira. A previsão é de que a mulher desembarque na capital mineira 22h30, sendo apresentada em seguida na Delegacia Regional do Barreiro, onde será formalizado o cumprimento da prisão, para que ela seja encaminhada à Penitenciária Feminina Estêvão Pinto.

Nos próximos dias, Myriam será recambiada de Belo Horizonte para a cidade de Juiz de Fora, onde se dará a execução da pena. Já que o processo foi realizado nessa comarca.

Entenda

O crime ocorreu em 2002, em Juiz de Fora, tendo como vítima Wendel José de Souza, que havia rompido o noivado com Myriam poucos dias antes da data em que os dois se casariam. Revoltada, a médica contou com a ajuda do pai, Walter Ferreira de Castro, atualmente com 76 anos, para contratar dois homens para mutilar o ex-noivo. Antes de sofrer a agressão, Wendel recebeu ameaças por parte de Myriam, avisando que ele não escaparia ileso do caso. A vítima chegou a ter a casa e o carro incendiados pela acusada, como demonstração de que a médica estaria ávida de vingança. Integrante de uma família rica e de renome social no município, ela deu prosseguimento ao plano, contratando três homens para executar a mutilação. O inquérito da Polícia Civil apontou que no dia em que foi rendido pelos agressores, Wendel estava em companhia do irmão, que chegou a desmaiar diante da violência da cena. Os executores usaram uma faca para cortar o pênis do rapaz e fizeram questão de dizer que estava agindo a mando da ex-noiva e do pai dela na ocasião.

Myriam se mudou para Barbacena após o fato, onde continuou atuando como clínica geral até o final de 2013. A transferência para Pirassununga, no interior de São Paulo, ocorreu imediatamente após sua sentença transitar em julgado, confirmando a pena de seis anos de reclusão devido à prática do crime de lesão corporal gravíssima.

Até então, a médica havia conseguido manter a liberdade com base em uma sequência de recursos judiciais, o que não caberia mais após a decisão final da Justiça. Ela estava saindo de casa, um condomínio de luxo, para o trabalho, na manhã desta terça-feira (1º), quando a equipe de policiais civis da Coordenação de Operações da Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária (SIPJ) da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais efetuou a sua prisão. Contando com o apoio dos policiais civis paulistas, os policiais mineiros agiram sob o comando do delegado Rômulo Guimarães Dias no cumprimento do mandado de prisão de Myriam.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave