Somos aceitos pelo Senhor

iG Minas Gerais |

O significado de rejeição é ser posto de lado, “jogado fora”, sem valor. Uma pessoa que é rejeitada se sente preterida, como se ouvisse sempre alguém dizer que ela não serve, que não tem valor. A dor da rejeição emocional é uma das piores que uma pessoa pode experimentar. No entanto, toda rejeição tem uma causa. Aqui, vou mencionar algumas razões para a rejeição, tais como, a concepção indesejada, quando a mãe rejeita o filho ainda no ventre. A tentativa de aborto, isso é, a criança ou adulto tem conhecimento que houve tentativa de aborto na sua concepção. A frustração quanto ao sexo da criança, quando o pai/mãe desejava uma menina e nasceu um menino, e vice-versa. Essa é a rejeição pela escolha. Quando uma criança nasce com problemas físicos ou mentais, há rejeição. A comparação com outros irmãos também é uma forma de rejeição. José do Egito era o “queridinho do papai”, isso causou no coração dos outros irmãos uma rejeição tão grande a ponto de eles cometerem atos violentos contra José, como jogar o irmão em um buraco, desejar matá-lo e vendê-lo como escravo (veja Gênesis 37). Quando alguém é adotado, ao tomar conhecimento disso, pode haver um sentimento de rejeição, mas é importante que o filho adotado saiba que ele não chegou por acidente, que se alguém o adotou, foi uma expressão do amor de Deus para com a vida dele. Outra razão para a rejeição é o abandono. E a morte dos pais, por exemplo, pode desencadear esse sentimento de abandono. Outros ainda experimentaram a rejeição ao sofrerem com abusos, seja verbal, sexual, emocional. A infidelidade conjugal ou o divórcio machuca, fere e também causa sentimento de rejeição. A rejeição faz parte do mundo caído, do mundo satanizado. Muitas vezes, ao observar a vida das pessoas, percebemos como elas reagem à semente da rejeição. O fruto da rejeição se manifesta primeiro por meio da raiva. Quando alguém vive com muita raiva, ao procurar conhecer suas raízes, encontramos o motivo. Quase sempre vamos encontrar no histórico dele a marca da rejeição ou amargura. A amargura adoece a alma. A pessoa amarga não tem doçura, sente-se desamparada. A culpa também é fruto da rejeição, o que leva muitas vezes ao complexo de inferioridade. Quem tem esse sentimento de inferioridade sempre vai achar que o outro é maior ou melhor do que ele. Outro resultado da rejeição é uma autoimagem distorcida. A pessoa se olha no espelho e diz: “Esse não se parece com aquele que Deus sonhou para minha vida”. A autoimagem é aquilo que se pensa de si mesmo, ou o que as pessoas dizem a nosso respeito, mas ela deve ser aquela que Deus tem sobre nós e tem colocado em nosso coração. Você e eu somos obra-prima do Senhor. Muitas vezes, pensamos que não somos ninguém, por causa da rejeição, mas quando nos vemos como Deus nos vê, somos curados. Há aqueles que buscam escapar da rejeição se entregando às drogas, ao álcool, à televisão, ao trabalho. E fazem tudo isso numa tentativa de se sentirem aceitos. A pessoa rejeitada está sempre julgando os outros, pois faz uma transferência do que sente. Não consegue experimentar, se deleitar, se esponjar da graça e misericórdia do Senhor. Ela tem todo tipo de medo, quase sempre por causa da rejeição. Tantas pessoas estão cansadas, sobrecarregadas da rejeição, mas clamo ao Senhor que possam realmente ter entendimento de que, na cruz do Calvário, elas foram aceitas. Querido, para Deus, todos somos iguais. O mesmo preço que Jesus pagou na cruz do Calvário por mim, Ele pagou por você. Quando celebramos a Ceia precisamos ter exatamente este entendimento, de que Jesus pagou o mesmo preço por mim e por você. Ele ama a todos nós com a mesma intensidade. Que possamos compreender e viver essa verdade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave