Mãe presa por ferir filho com ácido

Suspeita de marcar iniciais em menino de 1 ano e 9 meses pode pegar até oito anos de cadeia

iG Minas Gerais | EVANDRO TELES |

Luciana diz que filho se queimou em cano de moto
Nelson Batista
Luciana diz que filho se queimou em cano de moto

A Polícia Civil inidiciou Luciane Ramos Lima, de 24 anos, pelo crime de tortura/castigo. Presa no sábado, 29, no bairro Marimbá, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, ela é suspeita de queimar o filho de 1 ano e 9 meses com ácido, na tentativa de tirar as iniciais que teria tatuado na perna do menino.

“Depois disso, ela abandonou a criança e a entregou para a avó paterna. O menino deu entrada na UAI Guanabara e os médicos estranharam o grau da lesão. Diante da situação, eles acionaram a PM, que registrou uma ocorrência. “Começamos então a investigação. Fizemos oitiva com alguns familiares e descobrimos que o pai da criança se encontra preso por crime de receptação na penitenciária José Maria Alkimin. Já Luciana tem antecedentes por porte ilegal de armas”, explicou o delegado do 2º DP Roberto Veran.

Ainda segundo o delegado, o exame pericial revelou que a perna da criança foi tatuada com as iniciais YAS. “Isso chamou muita atenção dos vizinhos, e a mãe, na tentativa de apagar a marca, usou um produto semelhante a ácido. Isso agravou a situação. O exame pericial também constatou lesões por todo corpo, o que sugere que a criança apanhava com frequência”.

A mãe, que pode pegar até oito anos de prisão, foi levada para um centro do sistema prisional da capital.

"Não sou bicho"

A suspeita Luciana Ramos Lima alegou que o que aconteceu com o seu filho foi apenas um acidente. “Eu não sou bicho. Jamais faria isso com ele. O tio do meu filho chegou de Esmeraldas e guardou a moto em um quartinho. Em um descuido da minha mãe, o meu filho encostou no cano de descarga e se feriu”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave