Diretoria libera e cruzeirenses afixam faixa de apoio na Toca II

Três torcedores aproveitaram a presença do gerente de futebol celeste, Benecy Queiroz, para solicitarem uma oportunidade de entrar no CT

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

O taxista Juliano Eustáquio, 42, sua filha Laura Cristina, 12, e sua irmã, a advogada Gisele Corrêa, 38, posam com foto de apoio aos jogadores celestes
WEBREPÓRTER/SUPERFC
O taxista Juliano Eustáquio, 42, sua filha Laura Cristina, 12, e sua irmã, a advogada Gisele Corrêa, 38, posam com foto de apoio aos jogadores celestes

Uma ideia que, inicialmente, seria executada do lado de fora da Toca II, mas que por uma ação do destino terminou nas dependências internas do centro de treinamento azul e branco.

Na reapresentação do Cruzeiro na tarde desta segunda-feira, depois de no domingo o time garantir classificação às finais do Campeonato Mineiro, três torcedores da Raposa conseguiram afixar faixas de apoio ao grupo estrelado, que tem uma missão complicada na quinta-feira, diante da Universidad de Chile (CHI), em Santiago. Partida considerada de vida ou morte para os cruzeirenses na Copa Libertadores.

O taxista Juliano Eustáquio, 42, sua filha Laura Cristina, 12, e sua irmã, a advogada Gisele Corrêa, 38, tinham o intuito de ficar do lado de fora da Toca II. No entanto, aproveitaram da presença do gerente de futebol celeste, Benecy Queiroz, para solicitarem uma oportunidade de entrar no CT e afixarem os dizeres. E conseguiram.

“Quando entrarem naquele gramado, saibam que junto com vocês entrarão mais de oito milhões de fanáticos apaixonados que acreditam na vitória. E cada gota de suor advinda de seus esforços evidenciarão nossas lágrimas de alegria pelo orgulho de sermos o tricampeão brasileiro nos representando nessa Libertadores. #BlindadosComNossosGuerreiros”, dizia uma das faixas.

Precisando exclusivamente da vitória sobre os chilenos para seguirem com chances de classificação no torneio continental, os jogadores leram as frases de impacto, com palavras fortes de apoio. Uma das faixas foi colocada em um corredor por onde os jogadores passam para entrar no campo. A outra foi afixada próxima do banco de reservas do campo onde os atletas reservas fizeram um coletivo nesta segunda-feira.

Leia tudo sobre: futebol nacionalcruzeirofaixas de apoiolibertadoresraposa