Baratas infestam ônibus da capital e deixam passageiros indignados

Um usuário da linha 2004 postou um vídeo na página do movimento Tarifa Zero; nas imagens os insetos passeiam pelas cadeiras e pelo chão do coletivo

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

undefined

Um usuário da linha 2004 (Bandeirantes / Pilar) fez um vídeo reclamando de baratas no coletivo e encaminhou ao movimento Tarifa Zero, que luta pela passagem gratuita em Belo Horizonte. O grupo postou as imagens, que mostram baratas passeando nas cadeiras do coletivo, em sua página do facebook e vários usuários reclamaram da precariedade do transporte público.

A filmagem, segundo a página, foi feita no último sábado (29) . O usuário afirma que é a terceira vez que encontra os insetos em coletivos da linha. Nos comentários da postagem, outros internautas disseram que nas linhas 8101 (Santa Cruz/Alto Santa Lúcia), 9101 (Alto Vera Cruz/ Santa Lúcia),8103 (Nova Floresta /Santa Lucia) o problema se repete. A reportagem de O TEMPO não conseguiu  contato com os internautas. Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou que realiza diariamente fiscalização nas linhas do transporte coletivo da capital. “Técnicos da BHTRANS realizam viagens a bordo em que são observados itens como limpeza geral dos ônibus, inclusive a lixeira existente dentro dos veículos, e também itens de segurança (faróis, freios, para-brisa, luzes e outros) e padronização dos veículos. Constatada a falta de conservação e limpeza nos ônibus o consórcio é autuado com base no regulamento da prestação do Serviço de Transporte por Ônibus de Belo Horizonte”,  diz a nota. 

O órgão afirmou ainda que denúncias em relação ao problema devem ser feitas pelo telefone 156 da prefeitura. A reportagem não conseguiu contato com os consórcios que gerenciam as linhas citadas. Levantamentos feitos pela reportagem dão conta que o problema persiste desde 2012.

Aumento da passagem Integrantes do movimento Tarifa Zero questionaram se é justo aumentar o valor da tarifa do transporte público com a precariedade e sujeira.  Na última sexta-feira (28), a BHTrans, publicou o resultado dos dados da auditoria nas contas do transporte coletivo. Mesmo depois do documento que indica aumento da passagem e das especulações sobre um reajuste já em abril, a BHTrans afirma que ainda não há nada definido.

A auditoria mostrou que as passagens de ônibus da capital precisam ser reajustadas em 2,97%, sem contar a inflação, para que seja mantida a Taxa Interna de Retorno (TIR), de 8,95%, para as concessionárias, conforme determina o contrato do setor.

Na próxima quinta-feira (03), o movimento Tarifa Zero irá fazer um ato contra o aumento da passagem. O grupo vai se reunir às 17h na praça Sete.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave