Justiça israelense condena ex-primeiro-ministro por corrupção

Ehud Olmert é acusado de ter aceito suborno de construtoras para flexibilizar leis de zoneamento e liberar obras inadequadas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Chanceler Tzipi Livni é o nome mais forte para a sucessão segundo analistas
Sebastian Scheiner/ap - 29.7.2008
Chanceler Tzipi Livni é o nome mais forte para a sucessão segundo analistas

Um tribunal de Israel condenou o ex-primeiro-ministro Ehud Olmert por corrupção antes de ele assumir o poder, um veredicto que pode mandá-lo para a prisão e sepulta as esperanças de seu retorno à política.

A condenação encerra a batalha legal que o ex-premiê, de 68 anos está enfrentando desde que foi forçado a renunciar em 2009 por conta de uma série de denúncias de corrupção.

Olmert é acusado de ter aceito suborno de construtoras para flexibilizar leis de zoneamento e liberar obras inadequadas enquanto era prefeito de Jerusalém e ministro da Indústria e do Comércio. O ex-premiê enfrentará sete anos de prisão.

Ao todo, 13 funcionários públicos, promotores e empresários foram relacionados a esse esquema de corrupção, considerado pela imprensa local como o maior escândalo político da história de Israel.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave