Pesquisa aponta que 46% da população anularia a Lei da anistia

Os que são contra somam 37%; outros 17% não sabem dizer; entre os que tem nível superior e ganham mais de R$ 7,240, o apoio à punição de torturadores sobe para 58%

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Uma pesquisa inédita do Datafolha sobre a Lei da Anistia mostra que a maior parte da população, 46% é a favor da anulação da norma tal qual ela é apolicada atualmente.

Os que são contra somam 37%. Outros 17% não sabem dizer.

Nesta segunda-feira (31), exatos 50 anos após o golpe de 1964, também há mais brasileiros a favor do que contra à proposta de punição dos que torturam presos políticos na ditadura.

Agora, 46% defendem castigo aos torturados e 41% são contra. Indiferentes e pessoas que não souberam opinar são 13%. Em 2010, quando o Datafolha fez essa pergunta pela primeira vez, o resultado foi o inverso:45% eram contra, 40% a favor.

A pesquisa atual, com 2.614 entrevistados, foi feita em 19 e 20 de fevereiro antes da onda de eventos e reportagens sobre os 50 anos do golpe.

E antes da repercussão do depoimento do coronel reformado Paulo Malhães à Comissão Nacional da Verdade.

No último dia 25, Malhães narrou como torturava, matava e dilacerava corpos de opositores durante a ditadura. Disse não ter qualquer arrependimento disse.

Para o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, os resultados mostram sociedade dividida:" Considerando a margem de erro (de 2 pontos percentuais), as taxas são parecidas".

Segundo ele, a efeméride e o depoimento de Malhães influienciaram pouco nos resultados. "É um tipo de informação que atinge um segmento muito específico da população, só os mais informados e escolarizados', diz.

Recortes por instrução e renda dão pista disso. Entre os que tem nível superior e ganham mais de R$ 7,240, o apoio à punição de torturadores sobe para 58%

Leia tudo sobre: políticagolpepesquisaditadura militarDatafolha