Movimento que reverbera

Nascido no interior de São Paulo há dez anos, projeto Movimento Violão traz música instrumental a Belo Horizonte

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Bloco musical. 

Duo foi formado após o encontro de uma uruguaia e um mineiro que dividiram o primeiro lugar em um concurso musical
Matheus do Val
Bloco musical. Duo foi formado após o encontro de uma uruguaia e um mineiro que dividiram o primeiro lugar em um concurso musical

Em 2003, o violonista Paulo Martelli criou um evento para tocar com os amigos em Araraquara, onde morava. O resultado agradou o público e o que inicialmente era Paulo tocando com três alunos de repente foi para o Teatro Municipal da cidade, sob o nome Movimento Violão. “A prefeitura de Ribeirão Preto gostou do formato e fomos pra lá. Não demorou muito e estávamos também em São Paulo”, conta Juliana Oliveira, atual diretora do projeto.

Dez anos depois, Belo Horizonte se torna a quarta cidade a receber a iniciativa. A edição belo-horizontina ganha sua abertura oficial hoje, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), e segue até o fim do ano com apresentações toda última segunda-feira do mês. Para o show inaugural, a atração escolhida foi o duo Siqueira Lima, formado pelo mineiro Fernando Lima e pela uruguaia Cecília Siqueira.

“Belo Horizonte tem uma forte tradição na música instrumental”, lembra Juliana. “No ano passado, fizemos um Movimento Jovens Talentos e um dos grandes destaques foi o Aulus Rodrigues, que havia acabado de se formar aí”, avalia.

Duos e encontros. Sobre a escolha do Siqueira Lima para a edição inicial, a diretora argumenta que a parceria Minas-Uruguai segue a tradição de grandes duos brasileiros. “Muitos nomes internacionais, como o Piazzolla, compuseram para duplas nacionais. O Fernando e a Cecília confirmam essa força, acabaram de ganhar um prêmio em Nova York e estão com a carreira em plena ascensão”, justifica.

A história do duo, por sua vez, confunde-se com a do próprio Movimento Violão. Fernando Lima e Cecília Siqueira se conheceram em um concurso internacional de violão na cidade de Caxias do Sul, em 2001. “E numa dessas coincidências muito fortes, acabamos empatando no primeiro lugar”, recorda Lima.

Pouco tempo depois, no fim de 2002, eles criaram o duo. “Foi na mesma época em que o Movimento Violão estava surgindo”, considera o violonista mineiro, nascido em São Bento Abade, perto de Três Corações. Ele conta que o idealizador do projeto Paulo Martelli é um grande amigo e sempre foi um grande incentivador do duo. “Começamos a tocar nos concertos do Movimento e o Paulo sempre tem nos convidado. Este ano inclusive já tocamos em uma edição especial do Movimento do Violão Sinfônico”, relata.

A carreira do duo Siqueira Lima, porém, vai bem além das fronteiras do projeto. A dupla já se apresentou em festivais na Suíça, Rússia, França e EUA, e é reconhecida como referência internacional na música instrumental.

O álbum mais recente, “Um a Um’, foi gravado em 2010 e é composto integralmente de composições nacionais. “São músicas de nomes como Hermeto Pascoal, música popular brasileira elaborada e de qualidade”, afirma.

O material deve compor a segunda metade da apresentação do duo – a terceira deles em Belo Horizonte – na noite de hoje. A primeira parte começa com música barroca, passa por compositores românticos, Villa-Lobos, até chegar a Piazzolla e outros compositores latino-americanos.

“Fazemos questão de apresentar um repertório bastante diversificado e dinâmico, sem nos conter a um assunto ou compositor só”, explica Lima.

Seguindo o Siqueira Lima, o violonista Pedro Martelli (irmão do idealizador Paulo) será a próxima atração do Movimento Violão no CCBB. O show será dia 28 de abril, com um repertório dedicado a compositores espanhóis.

Para os próximos meses, Juliana Oliveira tenta manter um mistério a respeito da programação. “Posso confirmar que o próprio Paulo [Martelli] vai fazer uma apresentação com seu violão de 11 cordas, numa noite dedicada a Bach. Tem também o quarteto Abayoni, que toca música nacional. E estamos tentando um violonista aí de BH, mas ainda não está certo, então não posso dizer quem é”, provoca.

Agenda

O que. Movimento Violão

Quando. Hoje, às 20h

Onde. Centro Cultural do Banco do Brasil (Circuito Cultural da Praça da Liberdade)

Quanto. R$ 10 (inteira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave