Hamilton dedica vitória a vítimas de acidente aéreo

A primeira vitória do piloto nesta temporada da Fórmula 1 foi no GP da Malásia; O inglês segue em segundo no campeonato, 18 pontos atrás do companheiro de equipe Nico Rosberg

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Depois da frustração com os problemas sofridos na Austrália, Lewis Hamilton vibrou com a primeira vitória conquistada nesta temporada da Fórmula 1, neste domingo. O inglês exaltou o primeiro triunfo no GP da Malásia e a dobradinha da Mercedes, ao lado do alemão Nico Rosberg, mas não deixou de lembrar das vítimas do voo MH370, da Malaysia Airlines.

"Depois de uma tragédia como essa, há três semanas, eu gostaria de dedicar esta vitória às vítimas e seus familiares", disse o piloto britânico, referindo-se aos 239 mortos no acidente ocorrido no dia 8 deste mês - o voo MH370 saiu de Kuala Lumpur, na Malásia, e tinha como destino Pequim antes de cair no Oceano Índico.

Apesar da lembrança da tragédia, destacada pela organização da F1 durante a semana, Hamilton não deixou de celebrar o triunfo deste domingo. "Estou incrivelmente feliz, minha primeira vitória aqui em oito anos. Finalmente consegui", declarou o inglês. "E fazer uma dobradinha é muito especial. Não fiz muitas na minha carreira".

Rosberg também saiu satisfeito da pista. Apesar do segundo lugar na corrida, ele continua como líder do campeonato, com 18 pontos de vantagem sobre Hamilton. O alemão se mostrou mais preocupado neste domingo com a forte reação da Red Bull, que deteve o terceiro e o quarto lugar durante a maior parte da prova.

Sebastian Vettel chegou a pressionar Rosberg na metade da corrida, algo impensável há algumas semanas em razão do fraco rendimento da Red Bull nos testes da pré-temporada. "Eles não sabiam onde estavam logo após os testes e agora [Vettel] está bem próximo de mim, me pressionando", disse o alemão, surpreso. "Eles melhoraram o rendimento de uma forma muito, muito impressionante. Então temos que continuar trabalhando para manter nossa vantagem", comentou.

Leia tudo sobre: HamiltonGP da Malásiapódiofórmula 1avião desaparecido