‘Comida da moda’ tem riscos

Usar produtos alimentícios e industrializados em excesso pode levar ao ‘inchaço’ o corpo

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Chá verde. Absorção de ferro: É o gostinho amargo do chá verde o responsável por uma série de benefícios da bebida. “Ele tem um potencial indiscutível por acelera o metabolismo e promover a queima de gordura abdominal. Por outro lado, inibe a absorção do ferro, e nunca deve ser ingerido após as refeições para quem precisa desse nutriente ou é hipertenso”, alerta Gisela Savioli. A nutricionista diz que a bebida não deve ser adoçada e que a forma de preparo é muito importante para preservar o sabor. “Quando a água começar a dar as primeiras bolhas, tire do fogo, jogue sobre as folhas e tampe. Só consuma depois de esfriar um pouco. O chá pode ser guardado, mas cerca de três xícaras devem ser consumidos ao longo do dia”,
Divulgacao / Stockxpert
Chá verde. Absorção de ferro: É o gostinho amargo do chá verde o responsável por uma série de benefícios da bebida. “Ele tem um potencial indiscutível por acelera o metabolismo e promover a queima de gordura abdominal. Por outro lado, inibe a absorção do ferro, e nunca deve ser ingerido após as refeições para quem precisa desse nutriente ou é hipertenso”, alerta Gisela Savioli. A nutricionista diz que a bebida não deve ser adoçada e que a forma de preparo é muito importante para preservar o sabor. “Quando a água começar a dar as primeiras bolhas, tire do fogo, jogue sobre as folhas e tampe. Só consuma depois de esfriar um pouco. O chá pode ser guardado, mas cerca de três xícaras devem ser consumidos ao longo do dia”,

A grande oferta de produtos nas prateleiras muitas vezes pode ser confusa para quem busca um corpo mais enxuto. Com isso, produtos indicados pelas redes sociais e por famosos acabam se tornando verdadeiras febres no consumo. Mas, por trás dessas apostas que prometem verdadeiros milagres, há riscos, segundo aponta a nutricionista Gisela Savioli, autora do best-seller “Tudo posso, mas nem tudo me convém”.

“Hoje em dia as pessoas consomem produtos alimentícios achando que são comida. Sabemos que existem mais de 8.000 substâncias que a indústria coloca dentro dos alimentos industrializados para aumentar o tempo de prateleira, a textura, o visual, o sabor. Só que quando isso entra no organismo, o corpo vai gastar nutrientes e energia para tirar aquilo que não lhe pertence e ‘faxinar’”, afirma Gisela.

A especialista, que foi responsável pela alimentação da comitiva do papa Bento XVI durante a sua visita ao Brasil, em maio de 2007, diz que não acredita em dieta, mas em reeducação alimentar. “A obesidade é considerada uma doença inflamatória, se a pessoa não desinflamar não conseguirá emagrecer. Por isso não existem milagres. É preciso analisar o que cada um está fazendo de errado na sua alimentação e retirar os alimentos pró-inflamatórios. Só de fazer isso a pessoa já vai ‘murchar’, literalmente”, conta a nutricionista.

Gisela afirma que antes de se aventurar pelos alimentos da moda é necessário se conhecer e buscar a ajuda de um profissional com orientações sobre a forma de consumo, o horário e se não há nenhuma contraindicação. O alerta também serve, inclusive, para os alimentos naturais, como os chás.

“O bem-estar e a qualidade de vida são obtidos por meio de uma alimentação saudável, não apenas com foco no emagrecimento, mas sobretudo no equilíbrio dos nutrientes e minerais, para assegurar o bom funcionamento do organismo, inclusive em relação às emoções. Os alimentos ingeridos diariamente estão ligados intimamente com o nosso bem-estar físico, social e mental”, disse Gisela.

Antes de testar alguma “nova promessa”, veja a opinião da especialista sobre cinco alimentos que são a última novidade no mercado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave