Ausência dos pais levaria ao problema

iG Minas Gerais |

Um ambiente familiar saudável e os papeis desempenhados por pais e mães são apontados pela psicóloga Fernanda Kalil como fator importante para a prevenção dos transtornos alimentares.

“Mães autoritárias podem criar filhas com distúrbios alimentares, o que tem a ver com os pais sem participação na vida familiar e deixam a mãe tomar o espaço todo. É fundamente abrir o diálogo, e o pai precisa fazer esse corte para entrar na relação mães e filhos. Mães autoritárias normalmente são parte de dinâmica em que os pais são ausentes”, afirma.

Nessa verdadeira batalha contra o próprio corpo, os homens apresentam algumas poucas diferenças de comportamento em relação a manifestação dos transtornos no sexo feminino.

“Os homens têm um pouco menos de distorção da imagem corporal, se enxergam menos gordos, mas como demoram mais para procurar tratamento, quando chegam estão mais graves, com mais osteoporose e mais velhos, com 16 a 18 anos”, afirma a psicóloga e terapeuta familiar do ambulatório do Hospital das Clínicas, Ester Schomer. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave