Easy Taxi tem 5 milhões de passageiros

Mineiro Tallis Gomes levou serviço móvel de chamada de táxi a 124 cidades de 27 países

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Vida. Tallis Gomes, 26, só anda de táxi e diz que dificilmente consegue manter um relacionamento com alguém
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Vida. Tallis Gomes, 26, só anda de táxi e diz que dificilmente consegue manter um relacionamento com alguém

“Mineiro é esperto e come quieto. Acho que talvez seja isso, saber falar na hora certa e com quem falar. Ser mineiro me ajudou nas relações.”

Há pouco mais de dois anos, o fundador da Easy Taxi, o mineiro de Carangola Tallis Gomes, 26, vendeu o carro de R$ 30 mil para abrir uma empresa e nem imaginava a responsabilidade e a projeção que teria hoje – 5 milhões de passageiros e presença em 27 países, 124 cidades, sendo 63 delas no Brasil. Hoje, o valor de mercado da Easy Taxi, de acordo com o executivo, é de US$ 300 milhões.

Ele quer muito mais. IPO, como Mark Zuckerberg fez com o Facebook, talvez, mas ainda tem muito trabalho antes disso. “Não penso nisso agora. Ainda estamos em 27 países, e pretendo estar em 50 países até o fim deste ano. Penso em perpetuar o negócio. Hoje com 5 milhões de passageiros, devemos dobrar esse número até o fim do ano”, detalha os planos arrojados.

Faturamento, número de viagens que os 120 mil taxistas fazem no mundo – 40 mil deles no Brasil –, ele não fala. “Eu não posso abrir esse número para você”, diz, às gargalhadas. Mas, então, a empresa já virou uma das maiores? Não, ele corrige. “Somos a maior empresa de serviço ‘mobile’ da história”, diz, sem modéstia. São 1.300 colaboradores atuando no mundo, e, neste ano, mais cem serão contratados.

Sem cifras, mas estrategista, ele deixa uma dica da velocidade de crescimento: a Easy Taxi dobra de tamanho todo mês, isso mesmo, cresce 100% todo mês. Rapidez assim ele promete na chegada do táxi: 5 minutos no Brasil e 6 minutos nos outros países, desde o acesso no aplicativo até a porta da casa do cliente. No Brasil, o taxista não paga nada, ainda. A Easy Taxi vive dos outros 26 países que geram muitos milhões de corridas. A cada corrida é cobrado US$ 1 do taxista.

Isso vai continuar mesmo com a entrada de novos players. “Eu já ‘matei’ mais de 200 no mundo. Tem um monte, mas tem três a quatro que fazem a diferença”. Mas é preciso estar à frente da tecnologia. Para isso, a Easy Taxi lançou o pagamento digital em que a pessoa consegue pagar pela corrida, cadastrando seu cartão dentro do aplicativo. “Então, não precisa do plástico mais”, desdenha.

Para o programa Easy Taxi Corporate foram investidos R$ 2 milhões numa solução que diminui o custo em até 40% para uma empresa que precisa gastar com esse tipo de modal. Mas o que Gomes quer mesmo é que as pessoas deixem seus carros em casa, diminuindo impacto o no trânsito, e usem mais táxi, claro.

“Não tenho carro, ando de táxi. Estava há dois meses fora, fico no Brasil de duas a três semanas e vou aos países. Sou um ator direto no crescimento da empresa.”

Belo Horizonte

Filtro. Belo Horizonte teve uma contribuição importante para a Easy Taxi, de acordo com Tallis Gomes. Foi dos belo-horizontinos a sugestão do filtro de táxi para carros maiores quando o destino fosse para o aeroporto.

Grandes números

US$ 300 milhões é o valor de mercado da Easy Taxi, que está em 63 cidades do Brasil

R$ 30 mil foi o investimento que Tallis Gomes fez, ao vender o carro, para abrir a empresa

120 mil taxistas conveniados à empresa no mundo, sendo 40 mil deles no Brasil

R$ 55 milhões investidos pelo Rocket Internet, pelo Fundo LIH e pela holding iMena

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave