Navios chegam à nova área de buscas por avião

Três navios chegaram na nova área de buscas e mais seis devem alcançar o local no domingo. Isso elevará o total de navios vasculhando a região para nove.

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Uma frota de navios navega na direção de uma área do Oceano Índico recentemente identificada como o local mais provável de queda do avião da Malaysia Airlines que desapareceu. Três navios chegaram na nova área de buscas hoje e mais seis devem alcançar o local no domingo, disse a Autoridade Australiana de Segurança Marítima (AMSA), que está liderando a operação internacional. Isso elevará o total de navios vasculhando a região para nove.

"Temos muitos mais navios envolvidos do que tínhamos anteriormente", disse um porta-voz da AMSA, em entrevista. "O trabalho de localizar os objetos ainda será principalmente dos aviões, enquanto os navios ficarão encarregados de tentar recuperar e identificar os objetos."

O contingente de navios estava sendo reforçado porque fotografias aéreas de vários objetos flutuantes analisadas durante a noite não conseguiram determinar se eles pertenciam ao Boeing da Malaysia Airlines que desapareceu dos radares civis há três semanas, quando fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim com 239 pessoas a bordo.

Um avião Ilyushin IL-76 da Força Aérea chinesa localizou três objetos em um ponto da zona de buscas no sábado. Um avião P3 Órion australiano avistou vários objetos em uma parte diferente da área de procura. As informações foram divulgadas pela AMSA, em um comunicado resumindo os esforços do dia.

Os navios Haixun 01, da administração chinesa de segurança marítima, e HMAS Sucess, da Marinha australiana, conseguiram recuperar uma série de objetos do oceano, mas até agora nenhum foi confirmado como sendo do avião da Malaysia Airlines, informou o órgão.

A busca deve ser retomada na manhã de domingo. O clima estava favorável durante a maior parte do período de operações do sábado, mas a AMSA alertou que as condições podem piorar. Clima desfavorável e visibilidade ruim forçaram as equipes a suspender operações várias vezes.

A zona de buscas foi deslocada na sexta-feira por causa de novas análises sobre dados de satélite. Agora a procura se concentra em um ponto cerca de 1.130 quilômetros a nordeste de onde as equipes focavam na última semana. Esse local fica mais próximo de Perth, na Austrália, do que o anterior, a 2h30 de voo da cidade, o que permite cinco horas de sobrevoo durante as buscas. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

fonte: Agência Estado

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave