Moradora denuncia uso de drogas e falta de higiene

Rita reclama dos transtornos causados pelo alojamento de operários, instalado a poucos metros de sua casa

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

“Aquele sossego que tinha antes acabou”, diz Rita Teixeira Filha Moura, de 51 anos, moradora da comunidade do Sapo, em Conceição do Mato Dentro. Ela reclama dos transtornos causados pelo alojamento de operários, instalado a poucos metros de sua casa.

Segundo ela, os funcionários da empresa fazem suas necessidades no mato perto de sua casa e usam drogas nas imediações. “Eles não respeitam nada. Aqui é roça, mas tem que ter respeito”, afirma. Ela completa que já apresentou as queixas diversas vezes ao encarregado da obra, mas nada foi feito.

Em Santa Maria de Itabira, também na região Central, Wagner Duarte, procurou a Anglo American por meio do “Fale Conosco” para denunciar “baderna antes das 6h e depois das 17h, carro de som muito alto, bebedeiras em bares e veículos em alta velocidade no perímetro urbano”.

“O maior problema é que Santa Maria recebeu mais de 2.000 prestadores de serviço da Anglo e das empresas parceiras. Eles invadiram a cidade com problemas sociais. Tem muita menina matando aula para ficar nos bares. Sem falar no consumo de drogas. Quando chega a noite, ficam fumando maconha. Eles estão abusando da nossa cidade”, conta Duarte. Uma semana depois, a empresa respondeu, também pelo “Fale Conosco”, que não encontrou evidências de nenhum dos problemas relatados pelo morador. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave