Em entrevista, ex-goleiro Bruno confirma que tentou se matar na cadeia

Na época do incidente, tanto os advogados do atleta como a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) negaram o fato, mas na noite desta quinta, o atual defensor de Bruno, Francisco Simim confirmou a história publicada pela revista

iG Minas Gerais | BÁRBARA FERREIRA |

Alex de Jesus
undefined

O boato de que o goleiro Bruno Fernandes tentou suicídio dentro da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi confirmado por ele em uma entrevista à revista Placar. Na época do incidente, tanto os advogados do atleta como a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) negaram o fato, mas na noite desta quinta, o atual defensor de Bruno, Francisco Simim confirmou a história publicada pela revista.

Segundo Simim, o fato aconteceu antes mesmo da condenação do goleiro e na época ele não estava a frente do caso, mas afirma que sabia do incidente. “Esse fato existiu bem no início do caso. Quando ele foi levado para o presídio ficou muito abalado com a situação. Foi um choque. Ele saiu de uma vida totalmente diferente e ficou de frente a um paredão”, conta o advogado.

Na entrevista, o ex-jogador do Flamengo contou que amarrou um lençol na ventana, que é alta, e em seguida o colocou em volta do pescoço e saltou. A sua morte foi evitada porque o tecido não resistiu e arrebentou. Alem disso, ele conta que logo que caiu no chão, a primeira coisa que avistou foi uma bíblia que teria ganhado de um policial ainda no Rio de Janeiro, o que o impediu de tentar se matar novamente.

A Seds mantem a versão dada na época do boato e afirma que não existem registros ou indícios de que ele tentou suicídio enquanto esteve detido no sistema prisional do estado.

Boato -  A história movimentou a porta do Fórum durante o julgamento do goleiro em Novembro de 2012. Na época um dos advogados de Bruno recebeu uma ligação informando que o seu cliente teria cometido suicídio. Na hora, ele se exaltou e chegou a jogar uma garrafa de água. A defesa de Bruno fez contato com a penitenciária Nelson Hungria para averiguar o boato, mas ninguém confirmou a história.

A informação era de que o goleiro teria tentado se matar e que ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estariam na porta da Nelson Hungria. Mesmo com a confirmação do incidente e com a confirmação dada pela Seds em Maio do ano passado sobre o uso de medicamentos antidepressivos, o advogado do ex-jogador do Flamengo, é incisivo ao dizer que o atleta está em outra fase agora e que isso é passado. “Estamos trabalhando para que ele volte para o futebol e agora o momento é de esperança”, comenta Simim. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave