Irmão nega ter estuprado menor

Jovem diz que foi abusada sexualmente por três dias; suspeito foi ouvido e solto

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas e José Augusto |

Delegacia de Mulheres, que funciona dentro da Regional, vai investigar o caso
JOÃO LÊUS/ARQUIVO
Delegacia de Mulheres, que funciona dentro da Regional, vai investigar o caso

Um agente penitenciário de 41 anos é suspeito de estuprar a própria irmã, de 17, durante três dias, em Betim, na região metropolitana. Ele teria aproveitado os dias de folga para forçar a adolescente a manter relações sexuais com ele.

De acordo com a Polícia Militar, o homem, que trabalha no presídio de São Joaquim de Bicas, abusou pela primeira vez da garota na última segunda, 24. “A menina contou que, quando a família dela saiu para trabalhar, ele foi ao seu quarto e a mandou ir tomar banho. E que, quando ela saiu enrolada na toalha, ele a agarrou e a levou para sala sem o consentimento dela e a obrigou a fazer sexo com ele”, disse um policial.

A adolescente teria ficado o resto do dia em casa e à noite foi para a escola e teria contado o que aconteceu para uma conhecida, mas pediu segredo, temendo o comportamento violento do irmão. Na terça, 25, e na quarta, 26, os abusos continuaram. A jovem teria chorado todas as vezes e pedido que ele não fizesse sexo com ela, mas ele não obedeceu. Uma colega da vítima contou a familiares da menina sobre a situação. Os dois fizeram exame de corpo de delito.

Versão

O agente penitenciário negou tudo, alegando que a jovem é desobediente e teria inventado toda a história por ele ser contra o namoro dela com um vizinho. Um inquérito foi instaurado.

Depõe e é liberado

Segundo a assessoria da Polícia Civil, o suspeito foi ouvido na Delegacia de Mulheres de Betim e liberado. Apesar de o crime ter sido praticado na segunda, na terça e na quarta-feira, a delegada de plantão teria entendido que, como ele só foi denunciado na quinta-feira, o período de flagrante já havia expirado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave