Agente penitenciário estupra enteada por três dias e é preso em Betim

Suspeito teria cometido os atos em seus dias de folga do trabalho em São Joaquim de Bicas; ele foi preso em flagrante; homem teria falado para vítima ir à posto de saúde pegar anticoncepcionais

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Um agente penitenciário é suspeito de ter estuprado a enteada por três dias seguidos no bairro Alto das Flores, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, nessa semana. O homem teria aproveitado os dias de folga de seu trabalho em São Joaquim de Bicas, na região Central de Minas, para forçar a adolescente a fazer o ato. Segundo familiares, G.S.C, 41, cuida de J.S.A., 17, desde os dois anos de idade.

Familiares da jovem acionaram a Polícia Militar (PM) e contaram que na última segunda-feira (24) a mãe da adolescente saiu para trabalhar às 5h e o irmão dela às 8h30 e que ela continuou dormindo em seu quarto. Em seguida, o suspeito teria a acordado e mandado ela tomar café e tomar banho. Quando ela saiu do banheiro enrolada em uma toalha, o homem teria a agarrado, deixando-a nua. Ele teria levado a jovem para a sala e a obrigado fazer sexo oral nele, que usava camisinha. Assim que finalizou, teria falado para ela não contar nada para ninguém.

A adolescente teria ficado o resto do dia em casa e à noite foi para a escola e teria contado o que aconteceu para uma conhecida, mas pediu segredo, temendo o comportamento violento do padrasto.

Na terça-feira (25), a situação se repetiu: depois que todos da casa saíram para trabalhar, o suspeito entrou no quarto da vítima e a acordou, mandando que tirasse a roupa. Ela teria se negado e ele mesmo teria arrancado a roupa da jovem e novamente a teria obrigado a fazer sexo oral nele. Depois teria acontecido a penetração com preservativo. O homem ainda teria falado para ela ir a um posto de saúde para pegar anticoncepcionais.

Na quarta-feira (26), quando ele foi acordá-la, já apareceu diante dela nu. A adolescente teria se levantado e corrido para o banheiro e depois teria ido para a cozinha, fingindo estar tomando café para ganhar tempo, acreditando que ele desistiria. Porém, ele foi até a cozinha e teria dito de forma ríspida e nervoso “você vai demorar?”. Em seguida, pegou-a pelo braço e a levou para o quarto dela, tirou suas roupas e mandou que ela fizesse sexo oral nele. Depois, houve penetração vaginal.

A jovem teria chorado todas as vezes e pedido que ele não fizesse sexo com ela, mas ele nada teria respondido. A uma colega na escola, ela teria contado que queria se matar ou fugir de casa. A adolescente teria dito também que não gostaria de estragar a família, mas que não aguentava mais os abusos.

A amiga da vítima contou o caso para uma tia da adolescente e juntas convenceram a jovem a contar o que acontecia para a mãe. O suspeito foi preso em flagrante e não resistiu, de acordo com a PM.

Leia tudo sobre: padrastoestuproenteadasexo oralpenetração vaginal