Superior Tribunal de Justiça recebe queixa-crime

O governador do Rio, Sérgio Cabral, o empresário Eike Batista e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, são alvos de uma queixa-crime impetrada pelo advogado Antonio Maurício Costa

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
undefined

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o empresário Eike Batista e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, são alvos de uma queixa-crime impetrada pelo advogado Antonio Maurício Costa. A queixa foi aceita pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em agosto de 2013.

O objetivo é responsabilizá-los pelos problemas ambientais e que afetam a população na zona rural de São João da Barra, onde o porto está sendo construído. “Todos devem responder pelos crimes que estão acontecendo. Ninguém nunca foi contra o porto, mas sim contra as trapaças. E, para tudo acontecer, o BNDES foi quem emprestou o dinheiro”, afirma Costa.

Sobre o porto de Açu

A obra do porto do Açu é feita pela Prumo, ex-LLX, braço logístico do grupo de Eike Batista. O nome mudou após o grupo norte-americano EIG assumir o controle, em outubro de 2013

É classificado como Complexo Industrial Portuário. Com uma retroárea de 90 km², será formado por dois terminais

Serão 17 km de píeres, que poderão receber até 47 embarcações

Desde 2007, quando foi iniciada sua construção, foram investidos R$ 4,7 bilhões

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave