Obras da Wilma Martins revisitam sua trajetória

Radicada no Rio de Janeiro desde a década de 1960, Wilma Martins expõe 140 trabalhos em Belo Horizonte

iG Minas Gerais | carlos andrei siquara |

Série de xilogravuras desenvolvidas pela artista é um dos destaques da exposição que conta com diferentes fases
Wilton Montenegro
Série de xilogravuras desenvolvidas pela artista é um dos destaques da exposição que conta com diferentes fases

Na exposição “Wilma Martins: Retrospectiva. Cotidiano e Sonho”, em cartaz na Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube, um panorama do percurso da artista mineira é apresentado por meio de obras criadas entre 1955 e 2008.

Cerca de 140 criações, como gravuras, desenhos, pinturas, aquarelas, ilustrações para jornais e livros infantis estão reunidas. Ao lado das peças, há catálogos, recortes de jornais e outros documentos que rememoram fases da trajetória de Wilma Martins.

O curador Frederico Morais destaca entre o material exposto, as séries de xilogravuras e de ilustrações que podem ser pouco conhecidas pelo público. “Toda a sua produção xilográfica, que começou em Belo Horizonte mas ganhou expressão como proposta individual no Rio de Janeiro, está presente na mostra. Ilustrações que ela fez para os jornais mineiros na década de 1950 compõem outro acervo bastante rico”, frisa Morais.

De acordo com ele, dois temas são recorrentes nas composições de Martins: o olhar para as narrativas religiosas e para a condição feminina. “Isso está muito presente, especialmente, nas gravuras”, diz.

Serviço. Mostra “Wilmar Martins: Retrospectiva. Cotidiano e Sonho, na Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube (rua Bahia, 2244, Lourdes). Visitação: De 3ª a sáb., das 10h às 20h; dom., das 11h às 19h. Entrada franca.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave