Comerciantes fazem “vaquinha” para colocar outdoor que critica crimina

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Outdoor na praça do Brasileia, no centro, ilustrado com a foto de um homem armado, questiona as autoridades sobre o aumento da criminalidade
Nelson Batista
Outdoor na praça do Brasileia, no centro, ilustrado com a foto de um homem armado, questiona as autoridades sobre o aumento da criminalidade

Cobrando uma reação contra a alta criminalidade no município, moradores e comerciantes do bairro Brasileia lançaram mão de uma iniciativa no mínimo ousada para atrair a atenção das autoridades. Na praça que leva o nome do bairro, no centro, um outdoor ilustrado com a foto de um homem encapuzado empunhando uma arma questiona a negligência dos governantes. “Não importa o partido (...) Onde vocês ENFIAM o dinheiro dos impostos?” é a pergunta que atrai a atenção de quem passa por ali.

O protesto foi organizado após o professor de inglês Carlos Eduardo Lacerda, 33, testemunhar a frustração do vizinho e comerciante Elienício Carlos Viriato, 43, em tentar acionar a polícia para investigar um arrombamento na sua loja que resultou em um prejuízo de mais de R$ 16 mil.

Lacerda explicou que, ao sair pelo bairro fazendo uma “vaquinha” para conseguir a quantia necessária para colocar o painel na praça, chegou à conclusão de que quase que todos os comerciantes da região já haviam sido assaltados neste ano. Ainda segundo ele, a iniciativa teve a adesão de mais 12 moradores do Brasileia, que tiveram de gastar cerca de R$ 32 cada um.

A expectativa é que a solução encontrada por Lacerda e Viriato seja renovada. “A intenção é colocar um outdoor por mês, clamando aos governantes por soluções”, disse o professor de inglês.

Recorrente Segundo Viriato, desde 2009 ele já teve a sua loja assaltada por duas vezes. “O meu sentimento é de raiva. Não dá para trabalhar tranquilo. Agora, para recuperar esse prejuízo, só depois de seis meses de muito trabalho”, disse ele, que, até a quarta-feira (26), esperava pela polícia. “Eles nem vieram aqui. Falaram que não conseguiram achar a rua, que pensavam que era em Belo Horizonte”, completou.

No dia 25 de fevereiro, Viriato também participou de uma manifestação realizada no centro de Betim contra a violência. Os comerciantes seguiram até a Câmara Municipal para pedir ajuda aos vereadores. A iniciativa partiu da proprietária da padaria Nutrivida, também localizada no centro, que, em um mesmo dia, sofreu dois assaltos, um ao meio-dia e outro no fim da tarde. Neste ano, já foram oito roubos.

Respostas O assessor de imprensa do 33° Batalhão da Polícia Militar, capitão Antuer Júnior, disse que o outdoor demonstra a insatisfação da comunidade em relação à violência, mas ressaltou que o sucesso da segurança pública só é alcançado se houver envolvimento de todos.

“A peça publicitária questiona o trabalho da PM, mas é preciso ressaltar que as leis brasileiras são muito brandas. A corporação se sente de mãos atadas ao prender um indivíduo e ver que, dias depois, ele está nas ruas”, disse.

O militar informou ainda que é lançado efetivo 24 horas por dia no bairro Brasileia e que o problema da criminalidade não está restrito apenas a Betim, mas se alastra por todo o Brasil.

Já a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que há previsão de investimento de aproximadamente R$3,7 milhões na política de prevenção à criminalidade desenvolvida pela pasta no município. (Com Fábio Corrêa)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave