Unilever tem confronto decisivo com Pinheiros nesta sexta

Se vencer o segundo jogo do play-offs, time estará classificado para a semifinal; partida será disputada no Maracanãzinho, às 19h

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

Bernardinho quer que atletas tomem decisões mais certas na hora das decisões
Unilever/Divulgação
Bernardinho quer que atletas tomem decisões mais certas na hora das decisões

O Unilever-RJ sabe que não terá vida fácil no jogo desta sexta-feira, diante do Pinheiros-SP, às 19h, no Maracanãzinho, mas pode conquistar de uma vez a vaga nas semifinais da Superliga feminina e eliminar o terceiro confronto entre as equipes.

Depois de chegar ao tie-break no último encontro, as comandadas de Bernardinho acreditam que não há preferência no encontro, mas acreditam que a força das arquibancadas pode empurrar o clube ao resultado positivo.

“A primeira partida foi difícil e ficou provado que não há grande favorito nessa série. Mas desta vez vamos estar em casa, com apoio da nossa torcida e vamos entrar focadas para conseguir a vitória e garantir nossa vaga na semifinal”, disse a experiente central Juciely, do Unilever.

Para o treinador da equipe, será necessário melhorar a qualidade do passe e ter uma regularidade maior durante o jogo, até para evitar dar pontos para as adversárias.

“Temos que procurar não tomar decisões erradas, como enfrentar um bloqueio desnecessariamente. Assim fazemos com que o principal fundamento do Pinheiros funcione. É importante também termos lucidez na relação saque/passe. Sacando bem, nosso sistema defensivo tem mais facilidade de atuar. Sabemos que temos uma deficiência no passe, mas também precisamos passar melhor, ter regularidade, para dar tranquilidade para nossas levantadoras. O que espero é que não concedamos pontos ao adversário facilmente”, explica ele.

No Pinheiros, o fato de ter pressão da torcida adversária não assusta tanto as jogadoras, que também comemoram a chance de atuar no Maracanãzinho.

“Comentei com as meninas que jogar no Maracanãzinho é muito legal, é outra energia lá dentro. Acredito que essa questão de adaptação não vai influenciar tanto para o nosso time, já que a Unilever não treina todos os dias nesse ginásio. A ambientação vai ser quase a mesma para os dois times”, afirmou a oposto Andreia.