Síria já removeu 49% do arsenal químico

Restante deve ser removido para o exterior até 13 de abril, exceto nas áreas que atualmente são inacessíveis, as quais terão uma data limite de 27 de abril

iG Minas Gerais |

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPWC, na sigla em inglês) informou que a Síria retirou mais de 49% do arsenal químico, sendo que o restante deve ser removido para o exterior até o fim de abril.

O prazo para a remoção completa do arsenal químico previsto no acordo internacional é 13 de abril, exceto nas áreas que atualmente são inacessíveis, as quais terão uma data limite de 27 de abril.

O governo da Síria já perdeu o prazo de 31 de dezembro para remover o arsenal químico mais perigoso de seu estoque, e o limite de 5 de fevereiro para retirar todo o estoque previsto no acordo. O regime de Bashar Assad citou preocupações com a segurança e a falta de alguns equipamentos para justificar o atraso, mas repetiu que permanece totalmente comprometido com o processo.

Em carta, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, insistiu que a remoção seja feita com agilidade. "A natureza precária e instável da situação de segurança ressalta a importância de acelerar a remoção das armas químicas do território sírio o mais rapidamente e com a maior segurança possível", escreveu.

Os químicos mais tóxicos, como o gás mostarda e o material para fabricar o gás sarin, estão sendo carregados em navios cargueiros da Dinamarca e da Noruega no porto de Latakia e transferidos para um navio norte-americano no porto italiano de Gioia Tauro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave