Os craques de 2013 ainda não apareceram no início de 2014

Ronaldinho e Everton Ribeiro têm grande importância para os clubes e torcidas, mas estão devendo

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE/ GUILHERME GUIMARÃES/ THIAGO PRATA |

Raposa. Everton Ribeiro está muito longe de ser o craque admirado por todos no Brasil em 2013
Denilton Dias/Vipcomm – 3.8.2013
Raposa. Everton Ribeiro está muito longe de ser o craque admirado por todos no Brasil em 2013

Em 2013, eles encantaram com a bola nos pés e se tornaram fundamentais para Minas Gerais alcançar o topo do futebol brasileiro e sul-americano. Foram capazes de transformar o imponderável em realidade. Cada drible, assistência ou gol era como um número de mágica para seus fiéis seguidores, que respondiam com gritos e aplausos de pé. Mas, neste começo de 2014, a história é bem diferente. Ainda não houve espetáculo. De protagonistas, o atleticano Ronaldinho Gaúcho e o cruzeirense Everton Ribeiro se transformaram em figurantes.

Neste ano, R10 não é a sombra do craque da Libertadores da temporada passada, enquanto o maestro celeste está longe de ser o grande destaque do último Brasileirão. As atuações abaixo do esperado refletem nos números (confira no quadro abaixo) e na cobrança de vários torcedores de Atlético e Cruzeiro.

Apesar de terem crédito com suas respectivas torcidas, ambos já começam a ser questionados por parte dos aficionados e da imprensa. Isso fica evidente no desempenho dos dois armadores na atual edição da Libertadores.

Everton Ribeiro é o reflexo do Cruzeiro na principal competição sul-americana. Sem o brilho de outrora, o jogador amarga más atuações. Ele balançou as redes apenas uma vez – contra o Defensor-URU, no empate em 2 a 2, no Mineirão – e ainda não deu assistência. O próprio atleta confessa que está devendo exibições convincentes e decisivas em 2014.

“A gente vem treinando para retomar a melhor forma possível. Nos últimos jogos, eu melhorei. E vou buscar melhorar ainda mais nos próximos jogos para seguir ajudando meus companheiros em campo”, afirmou o armador cruzeirense.

Com o camisa 17 em baixa, tem faltado inspiração à Raposa, que está em maus lençóis no torneio. Com duas derrotas, um empate e uma vitória, o time celeste ocupa o terceiro lugar, com quatro pontos, e corre sério risco de ser eliminado logo na fase de grupos.

Para Ribeiro, problemas de ordem médica influenciaram em seu desempenho até o momento. “A marcação apertou mais, só que não vejo tanta influência (na queda de rendimento). No começo de temporada, tive dores no pé que me atrapalharam. Agora estou 100% recuperado e espero uma crescente natural”, comentou o atleta celeste.

No caso de R10, a situação é menos assustadora, mas nem por isso deixa de ser preocupante. Até o momento, ele computa um gol (no empate em 1 a 1 com o Nacional-PAR) e duas assistências (uma no empate em 2 a 2 com o Nacional-PAR e uma na vitória por 1 a 0 sobre o Zamora-VEN).

Porém, ele poderia render mais. Contra os paraguaios, no Independência, por exemplo, desperdiçou uma das duas cobranças de pênalti e cansou de perder bolas no ataque, proporcionando vários contragolpes ao adversário. Há quem diga que o camisa 10 deveria ter chamado mais a responsabilidade.

Os companheiros de time, no entanto, vão em defesa de Ronaldinho. Substituto imediato de R10, Guilherme não tem dúvidas em afirmar que o camisa 10 voltará a reinar. Para o meia-atacante atleticano, uma vez craque, sempre craque.

“O Ronaldo é nosso ídolo. Vale a pena lembrar que ele demorou um pouco mais de tempo para jogar em relação ao restante da galera na temporada. Ele tem jogado, nos ajudado, feito seu papel. Ele sabe lidar com isso, é experiente”, declarou o meia- atacante Guilherme.

O técnico Paulo Autuori também esbanja confiança no futebol de R10. “O Ronaldinho está trabalhando e todos sabem do talento que ele tem. Todos os jogadores de talento são assim, e podem decidir de uma hora para outra”, disse.

Aos torcedores atleticanos e cruzeirenses, só resta dar apoio e cruzar os dedos para que seus ídolos voltem a brilhar e que esse brilho se torne ainda mais forte que o da temporada passada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave