Avacoelhada

iG Minas Gerais |

Embora o desempenho do time americano no clássico contra o Atlético tenha sido abaixo do esperado, pelo menos três jogadores de linha demonstraram espírito de decisão. Gilson, Tchô e Ricardinho estiveram no clima de uma semifinal de campeonato. Falharam tecnicamente, mas entenderam que durante o confronto quem está do outro lado é adversário em busca do mesmo objetivo. Nos jogos decisivos, cada dividida deve ser disputada sem direito a perder a posse da bola. Evitar marcar o oponente com os olhos. Pressionar a arbitragem, igual os jogadores atleticanos sempre fazem quando jogam no Independência. No momento da reclamação, todos participarem a fim de impedir a intimidação. Para superar grandes desafios, além de potencializar a parte tática, técnica e física, precisa ter atitude vencedora. Jogar os 90 minutos com paixão por vencer.

A voz da Massa

Saudações alvinegras! A vitória do Zamora sobre o Nacional, no grupo do Galo, não alterou em nada a nossa situação na Libertadores. Continuamos precisando só de um empate em dois jogos para nos classificar. O que mudou é que o Zamora, surpreendentemente, assumiu a segunda posição no grupo e agora também tem chances de classificação. Com isso, no último jogo contra esses venezuelanos aqui no Horto, nós podemos esperar uma retranca daquelas. Neste ano o Galo vem encontrando muita dificuldade para suplantar equipes retrancadas. Foi assim contra o Santa Fe, contra o Nacional e até em jogos do Estadual. Portanto, para evitar qualquer tipo de problema o ideal mesmo é que, já na próxima rodada, contra o Santa Fe, fora de casa, o Galo vença o jogo para se classificar antecipadamente e continuar lutando pelo primeiro lugar geral nesta fase. Dá-lhe, Galo!

A voz Celeste

Borges voltou a treinar com os companheiros e está pronto para entrar em campo. Agora só depende de Marcelo Oliveira, que tem um problema que todo treinador deseja: vários jogadores que podem ser titulares. Estive ontem na Toca da Raposa, e o ambiente é dos melhores. Uma coisa ficou clara: todos vão para campo no domingo pensando no jogo da próxima quinta-feira, contra a Lau, no Chile. É a primeira decisão do Cruzeiro no ano. A pressão é grande, mas jogar em clube grande é assim mesmo. Chegou a hora em que não se pode errar. No Mineiro, para mim, já está definida a final: nós, como o maior de Minas, vamos pegar o nosso maior rival. E no jogo contra a Lau eu não acredito, porque acreditar é para os fracos: eu tenho a certeza da classificação do Cruzeiro para a próxima fase da Libertadores. Abraços para os amigos da minha querida Itapecerica.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave