Buraco maior do que combinado

Morador diz que Anglo não cumpriu com o combinado de deixa seu terreno como era antes da passagem do mineroduto

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
undefined

O mineroduto também afetou a vida do irmão de Adilson, Antônio Braz de Lazzaroni, de 48 anos. Ele vendeu uma área das suas terras para a Anglo construir uma estação de bombeamento em Vinhático. Também recebeu uma indenização para permitir que a empresa instalasse o tubo por baixo da sua terra.

“Mas eles invadiram o espaço delimitado e ainda construíram um bloco de cimento que vai ficar aqui debaixo. O combinado era eles passarem o tubo e devolverem o terreno como antes, mas eles cavaram muito mais. Ali eu não posso mais plantar”, lamenta Antônio.

No mesmo vilarejo, outros parentes foram afetados. “A gente aceitava tudo porque eles falavam que, se não autorizássemos e recebêssemos aquele valor, iriam passar de todo o jeito”, conta.

A Anglo afirma que as áreas de Antônio Lazzaronni impactadas pelo projeto foram negociadas de forma amigável. “Apesar de ainda não termos sido notificados formalmente, já é de nosso conhecimento o ajuizamento de ação, por parte do Sr. Antonio, para apurar se houve ou não a utilização de área diversa da que foi negociada”, destaca, por meio de nota.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave