Sobre contradição e rejeição

Espetáculo “Aos Nossos Filhos” traz a Belo Horizonte a atriz Marta de Medeiros no papel de uma mãe controversa

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Gerações. A atriz Laura Castro interpreta Vânia, uma mulher que entra em conflito com sua mãe, vivida por Maria de Medeiros
Irene Nóbrega / divulgação
Gerações. A atriz Laura Castro interpreta Vânia, uma mulher que entra em conflito com sua mãe, vivida por Maria de Medeiros

Quem nunca teve longas discussões com os pais ou qual pai já não coçou a cabeça sem entender o comportamento dos filhos em algum momento? A complexidade que pauta essa relação foi o tema escolhido pela escritora e atriz Laura Castro ao escrever a peça “Aos Nossos Filhos”, em cartaz neste final de semana, no teatro Oi Futuro. A história narrada na peça se passa na noite em que a filha, Vânia, revela para mãe que sua companheira, com que vive há 15 anos, está grávida. A novidade desdobra-se em conflitos de opiniões de duas gerações diferentes. Mas a trama vai além e entrega ao público duas personagens em condições paradoxais, longe dos estereótipos em que usualmente se encaixariam. “De uma lado temos a mãe, Vera, uma mulher rebelde, que participou da revolução sexual, lutou contra o regime militar e já viajou pelo mundo. Ela, porém, não consegue entender a condição de lésbica de Vânia, que é uma mulher conservadora e se veste de uma maneira bastante formal. É quase ‘careta’”, relata escritora, que interpreta a filha no espetáculo. Com esse roteiro, Laura não só contesta a suposta imutabilidade de papéis sociais, mas também toca em um assunto cada vez mais recorrente, mas que ainda apresenta muita resistência: a paternidade de casais homossexuais. “O preconceito existe e está em cada um e em todo mundo”, opina a escritora. No caso das relações familiares, porém, não tem como fugir. “Elas se amam, por isso, têm que lidar com isso de uma forma ou de outra”, completa. Para a escritora, a peça desempenha um importante papel social. “Quando as pessoas têm a oportunidade de se aproximar de uma situação que elas desconhecem têm a chance de se identificar e ver que são iguais: há problemas, escolhas e situações indesejadas que devem ser enfrentadas”, diz. Provas de que isso acontece, conta Laura, não faltam. “Estamos com a peça em cartaz há um ano e sempre há pessoas que vem conversar conosco depois do espetáculo. Inclusive, muitos filhos que foram e retornaram depois com os pais. O teatro tem o poder de fazer as pessoas refletirem sobre a sociedade”, afirma. Sob a direção de João das Neves, o drama perpassa por outros assuntos, como o período da ditadura militar no Brasil. “Mostramos um momento político muito tenso da história do país. Na peça, barbaridades cometidas, pessoas exiladas e o legado que nos foi deixado ilustram esse período”, comenta Laura. Outra questão abordada pelo espetáculo é a comunicação entre pais e filhos e a maternidade. “Vânia é uma mulher feminina e que quer constituir um família e ser mãe, mas não quer engravidar”, afirma. Especial. A peça conta com a ilustre participação da atriz portuguesa Maria de Medeiros, internacionalmente conhecida por participações nos filmes “Pulp Fiction”, de Quentin Tarantino, e “Henry e June”, de Philip Kaufman, entre muitos outros. “Foi coincidência. Eu havia escrito a peça e o papel da mãe seria interpretado pela Marieta Severo, mas devido a conflitos da agenda, ela não pôde participar. Estava quase desistindo quando meu cunhado conheceu Maria na Mostra de Cinema de São Paulo, trocou cartões e, depois disso, nos conhecemos”, conta Laura. Nessa época, Maria estava no Brasil para divulgação de seu filme “Repare Bem”, que mostra a história de três mulheres perseguidas pelas ditaduras brasileira e chilena. Uma delas era Denise Crispim. “A história dessa militante me fez lembrar muito Vera, por isso convidei Maria para fazer o papel”, diz a escritora. A parceria deu tão certo que a peça sai dos palcos e vai para os cinemas futuramente. “No momento, estamos captando dinheiro, definindo locações e elenco. Planejamos começar a gravar no primeiro semestre do ano que vem”, adianta Laura. Agenda O quê. Peça “Aos Nossos Filhos” Quando. De hoje até sábado, às 21h e no domingo, às 19h Onde. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras) Quanto. R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave