Entre a tragédia no palco e a comédia na série de TV

iG Minas Gerais | daniel toledo |

Antes de chegar a BH, peça cumpriu temporada de três meses no Rio
Leo Aversa/Divulgação
Antes de chegar a BH, peça cumpriu temporada de três meses no Rio

Atualmente envolvida nas gravações da última temporada de “A Grande Família”, série da Rede Globo, Marieta Severo esclarece que a atmosfera de “Incêndios” – que ela apresenta neste fim de semana em Belo Horizonte – guarda nítidas diferenças em relação ao movimentado lar de Lineu e Nenê. “Sem dúvida alguma, tratamos aqui de uma peça muito densa, que inclusive se aproxima da tragédia grega. Mas procuramos essa densidade através de uma certa contenção, sem esbarrar no piegas ou no melodramático. O resultado, felizmente, é que o público tem sido muito tocado pelo espetáculo”, avalia. Em sua visão, aliás, a opção por uma tragédia exigiu certa coragem dos realizadores do espetáculo, sobretudo quando considerada a predominância e o ensurdecedor sucesso das comédias na cena teatral carioca. “De fato, essa peça surgiu como uma espécie de aposta no fato de que o público não quer apenas entretenimento rápido, algumas risadas e pronto. Nossa maior felicidade com essa peça foi justamente apostar na direção contrária disso e, mesmo assim, alcançar o público”, afirma Marieta, que após se apresentar em Belo Horizonte volta ao Rio de Janeiro para uma nova temporada do espetáculo, dessa vez com duração de quatro meses. “É interessante perceber, por exemplo, que temos hoje muitos teatros de esquetes, com pequenas histórias, e ‘Incêndios’ aposta no contrário: uma grande história”, completa a atriz. O espetáculo, é bom dizer, tem duas horas de duração. Despedida. Se a trajetória de “Incêndios”, iniciada em setembro de 2013, está apenas começando, Marieta se despede, neste ano, de uma personagem que já a acompanha há quase uma década e meia: a carismática Dona Nenê. Com estreia marcada para o próximo dia 10 de abril, a série “A Grande Família” deixa neste ano a grade da Rede Globo. “Felizmente, vamos terminar esse trabalho do jeito que sempre sonhamos: no esplendor da sua qualidade artística e da sua relação com o público”, celebra a atriz, que nos próximos meses se dividirá entre as antípodas Nawal e Nenê. “De segunda a quarta, gravo a série; de sexta a domingo, estou no Teatro Poeira com o espetáculo”, explica. Sobre as transformações de Nenê ao longo dos últimos 13 anos, Marieta percebe um claro amadurecimento, tanto no que se refere ao papel da mulher quanto na relação da personagem com a própria família. “Pra mim, uma das grandes revoluções na história dela foi a construção do barco, que permitiu a ela e ao Lineu levar uma vida de aventura, bem diferente da que tinham no início de tudo”. “Para este ano, estamos preparando uma grande crise dela nessa relação com a família, que cresceu e agora exige outros papéis, outra postura. E entendo isso como algo muito comum, principalmente entre uma geração de mulheres que, por conta da família, acabou abrindo mão dos próprios sonhos e deixaram de construir suas próprias vidas”, analisa. Agenda O quê. Espetáculo “Incêndios” Quando. De hoje a sábado (hoje e amanhã, às 21h, sábado, às 20h) Onde. Grande Teatro do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1.046, centro) Quanto. De R$50 a R$75 (inteira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave