MP pede documentos sobre venda de Neymar ao Santos

De acordo com o clube, a notificação, com data de 20 de março, só foi entregue na sede do Santos nesta quarta

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Venda de Neymar ao Barcelona ainda rende polêmica
Reprodução/Facebook
Venda de Neymar ao Barcelona ainda rende polêmica

A diretoria do Santos informou ter recebido nesta quarta-feira notificação do Ministério Público Federal (MPF) que cobra documentos sobre a venda de Neymar ao Barcelona. De acordo com o clube, a notificação, com data de 20 de março, só foi entregue na sede do Santos nesta quarta.

O MPF explica que a notificação se refere à "Cooperação Brasil/Espanha". Os documentos requisitados serão enviados ao país europeu através da Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal.

A requisição pede o "contrato de trabalho celebrado entre o Santos Futebol Clube e o jogador Neymar da Silva Santos Jr" e "toda a documentação que lhe foi remetida pelo Futbol Club Barcelona e que se encontre relacionada com a contratação do referido jogador, incluindo, se existir, uma suposta carta por parte do presidente do Futbol Club Barcelona, Sandro Rosell, dirigida a Vossa Senhoria, com data de 19 de julho de 2013, na qual expunha os valores da operação".

O Santos esclareceu que até esta quarta não tinha sido acionado pela Justiça espanhola ou brasileira para enviar a documentação sobre a venda de Neymar. "Esse pedido só chegou hoje", informou o clube paulista, em nota. "O requisito dá 10 dias úteis ao Santos para encaminhar a documentação. O clube ficou de enviar a documentação até amanhã [quinta]".

Apesar destas alegações do Santos, o jornal espanhol As publicou nesta quarta que a Justiça espanhola teria solicitado tal documentação no dia 13 deste mês. Segundo o diário, o juiz estaria insatisfeito com a documentação enviada anteriormente pelo clube brasileiro. "Alguns documentos foram omitidos", escreveu o jornal. A Justiça espanhola investiga possível evasão fiscal do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, no processo de contratação do atacante brasileiro.

Leia tudo sobre: neymarfutebolesportebarcelonasantosvendapolemica