Conselho aprova e Santos antecipa cota de televisão de 2015

Votação dividiu os conselheiros e foi necessária porque o clube terá eleições em dezembro e antecipação representa perda de receita da futura administração

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Ivan Storti / Santos
undefined

O Conselho Deliberativo do Santos aprovou o pedido do Comitê de Gestão de antecipação de receita de TV de 2015, de R$ 53 milhões para pagamento de dívidas e para não atrasar salários e direitos de imagem dos jogadores, em sessão ordinária realizada na noite de terça-feira, na Vila Belmiro. A votação dividiu os conselheiros e foi necessária porque o clube terá eleições em dezembro e antecipação representa perda de receita da futura administração.

De acordo com o estatuto, o Comitê de Gestão não pode antecipar e nem comprometer as receitas ordinárias ou extraordinárias por um período superior ao do seu mandato, em benefício de sua gestão, sem prévia aprovação do Conselho Deliberativo, com base em parecer favorável do Conselho Fiscal.

Em dezembro de 2013, o Santos contratou dois empréstimos bancários, de R$ 15,5 milhões, e outro da Teisa (fundo de investimentos formado por santistas), de R$ 4 milhões, dando como garantia os direitos econômicos de Arouca.

O presidente em exercício do Comitê de Gestão, Odílio Rodrigues, explicou que a antecipação da receita de TV de 2015 é o melhor para o clube no momento, diante do déficit operacional de 2014 de R$ 69,7 milhões, em razão do pagamento de dívidas das administrações anteriores e o quadro pessimista para o Santos conseguir patrocínio master da camisa do time ainda no primeiro semestre, o que se representa a perda de recursos de R$ 20 milhões/ano, aproximadamente.

"O Santos está fazendo o que todos (os clubes) fazem, senão vamos ter que tomar outras providências que darão maior prejuízo ao futebol do clube", justificou o dirigente. O parecer do Conselho Fiscal foi que a antecipação da receita de TV de 2015 "é necessária para o cumprimento de obrigações previstas".