Passagem de ônibus pode ser reajustada no dia 1° de abril

Após reunião com a BHTrans, Ministério Público tenta barrar alta do preço

iG Minas Gerais | Joana Suarez |

Melhorias. “Se houvesse alguma melhoria no transporte que justificasse o aumento da passagem, ok. Mas se os ônibus continuarem como estão, o aumento seria absurdo.” - Daniel Costa, 18, estudante.
FERNANDA CARVALHO
Melhorias. “Se houvesse alguma melhoria no transporte que justificasse o aumento da passagem, ok. Mas se os ônibus continuarem como estão, o aumento seria absurdo.” - Daniel Costa, 18, estudante.

A passagem de ônibus de Belo Horizonte pode sofrer um aumento a partir de 1° de abril. A sinalização teria vindo da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) em uma reunião na segunda-feira com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A confirmação das conversas por parte de promotores, que afirmam trabalhar para conter a alta, acaba com a esperança de setores da sociedade de que a revisão tarifária de 2013, adiada para o primeiro semestre deste ano, pudesse refletir em uma queda no preço. A BHTrans não comenta o caso. A revisão da tarifa é feita anualmente, mas no fim de 2013, a prefeitura optou, diante da pressão popular, por esperar a conclusão de uma auditoria, prevista em contrato e feita nas contas do transporte público a cada quatro anos, para estabelecer o novo valor da passagem. Um relatório preliminar, de fevereiro, já trazia um cenário indicativo de aumento. De acordo com o documento, as concessionárias tiveram um prejuízo de R$ 25 milhões em 2012. Porém, se somados os quatro anos anteriores, as empresas tiveram lucro de R$ 59,1 milhões no período, o que poderia favorecer uma redução na tarifa. Ainda assim, havia uma esperança de haver redução no preço da passagem, já que a prefeitura anunciou que vai isentar, a partir de abril, as empresas do Custo de Gerenciamento Operacional (CGO) – que tem um peso de 2% no valor da tarifa, o que representaria cerca de R$ 0,05 a menos. Um novo relatório teria sido entregue pela Ernst & young, responsável pela auditoria, na reunião de segunda-feira. O texto traria recomendações para a alteração do contrato das concessionárias e o reajuste da tarifa. “É bem provável que exista o aumento. Mas vamos ter outra reunião com a BHTrans amanhã (hoje) para tentar que não haja (o aumento)”, disse o promotor Eduardo Nepomuceno. R$ 2,85. Segundo o integrante do Movimento Tarifa Zero André Velozo, o aumento seria de 7,5%, elevando a tarifa para R$ 2,85. Nepomuceno, no entanto, não confirma. Segundo ele, a BHTrans ainda não oficializou o reajuste. “O que nos chama atenção é o porquê da autarquia ter reduzido a passagem no ano passado e agora pretenderia aumentar. Quando houve redução, foi feito um planejamento e um estudo de impacto. Já se sabia do reajuste no fim do ano”, disse Nepomuceno. (Com Caíque Pinheiro)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave