Clésio ganha mais tempo de TV

Deputados peemedebistas abrem mão de propaganda da sigla para fortalecer candidato ao governo

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Dilma Rousseff entregou imóveis do Minha Casa, Minha Vida
R.Stuckert
Dilma Rousseff entregou imóveis do Minha Casa, Minha Vida

Para conter a aproximação entre PT e PMDB em Minas para a disputa pelo governo do Estado, os deputados peemedebistas defensores da candidatura própria decidiram ontem adotar uma nova estratégia: vão abrir mão das inserções individuais na propaganda de rádio e TV do partido e doar o tempo para o pré-candidato ao Palácio Tiradentes Clésio Andrade. O objetivo é dar mais espaço para o peemedebista divulgar suas ações, fazendo com que seu nome passe a ter maior viabilidade eleitoral, o que, no entendimento dos parlamentares, derruba o argumento de outras lideranças do PMDB que querem a aliança com os petistas.

A decisão foi comunicada nesta terça-feira à executiva estadual do partido. A propaganda partidária começa a ir ao ar na próxima sexta-feira, sendo mantida até o dia 14. Cada deputado teria direito a aparecer duas vezes, por 30 segundos. Com a decisão, Clésio ganhou quase mais quatro minutos de aparição na televisão. Apesar de ir ao ar daqui a dois dias, as inserções só foram definidas ontem pelo PMDB, refletindo mais uma vez a divisão interna na legenda para a disputa estadual neste ano.

Nesta terça-feira, a reunião da executiva estadual foi tensa e não faltaram trocas de farpas e acusações. O encontro marcou o retorno oficial do ex-ministro Antônio Andrade à presidência da legenda, fato que causou o acirramento dos ânimos. As divergências foram explicitadas ontem pelos peemedebistas, em especial entre Andrade e o deputado federal Leonardo Quintão.

O parlamentar questionou o dirigente a respeito da defesa da aliança com o ex-ministro Fernando Pimentel (PT) feita por Andrade na semana passada. “O senhor não poderia dizer, como presidente do partido, que o PMDB não tem nomes qualificados para lançar um candidato ao governo”, criticou Quintão. Em resposta, Andrade disse que tem direito de explicitar suas opiniões. “Falei sim como presidente estadual do PMDB. Sempre deixei clara a minha posição em favor da aliança com o PT”, respondeu.

Após baterem boca, Andrade insinuou que Quintão mudou de ideia sobre a candidatura de Clésio. “Na semana passada, nos reunimos com o presidente nacional (Valdir Raupp) e você defendeu uma composição com o PSDB. Fico confuso”, ironizou. Mais tarde, o deputado reafirmou que defende o nome de Clésio. “O PT quer fazer mais deputado federais e reduzir o tamanho do PMDB”, afirmou.

Nesta terça-feira, mesmo recebendo críticas, Antônio Andrade disse que uma aliança com o PT vai aumentar a bancada de deputados federais e estaduais peemedebistas. “É bom candidatura própria quando o candidato tem chance de vencer a eleição”, ressaltou o dirigente, que é cotado para vice de Pimentel.

Clésio, que participou da reunião, evitou o embate. Disse que o PMDB tem nomes qualificados para a disputa e garantiu que não aceitará compor com nenhum partido. “Reafirmo que disputarei a convenção estadual do partido, em 30 de junho”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave