Central de Escoltas é transferida para local de segurança máxima

Secretaria de Estado de Defesa Social não informou novo destino da central que ficava em Ribeirão das Neves; até o momento, nenhuma arma furtada foi localizada e nenhum suspeito foi preso

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Inseguro. Sala que guardava armas não tem monitoramento por câmeras e fica em local isolado, a cerca de 4 km do Dutra Ladeira
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Inseguro. Sala que guardava armas não tem monitoramento por câmeras e fica em local isolado, a cerca de 4 km do Dutra Ladeira

Depois que 45 pistolas e submetralhadoras foram furtadas, a Central Integrada de Escoltas de Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital, foi transferida para outra unidade prisional da cidade.

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) não informou o local, mas seria o complexo penitenciário fruto de Parceria Público Privada (PPP), considerado de segurança máxima.

Já os nove agentes penitenciários que estavam de plantão na noite de domingo e teriam sido dopados continuam afastados da função. Na última segunda-feira (24), eles passaram por exames toxicológicos, prestaram depoimento e foram liberados. O prazo é de 30 dias para que os testes fiquem prontos.

Nesta terça-feira (25), fora feitas buscas no entorno da central de escoltas, mas a polícia não quis dar nenhuma informação sobre pistas.

Até a noite desta terça, as armas não haviam sido localizadas e nenhum suspeito, preso.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave