Aldo Rebelo fala em barrar torcedores racistas durante a Copa

Segundo ministro, torcedores que já foram identificados fazendo ofensas raciais em jogos de futebol devem ser impedidos de entrar no Brasil

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Rebelo acredita que até abril deve haver um evento-teste no Itaquerão
Paulino Menezes/Portal da Copa
Rebelo acredita que até abril deve haver um evento-teste no Itaquerão

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, defendeu nesta terça-feira que torcedores que já foram identificados fazendo ofensas raciais em jogos de futebol sejam impedidos de entrar no Brasil durante a Copa do Mundo.

Se o torcedor for brasileiro, o ministro entende que deve ser impedido de ir aos jogos. "Se for estrangeiro, proibido de entrar no nosso País e nos nossos estádios", disse Rebelo, durante visita a Ribeirão Preto.

Na cidade do interior paulista, que receberá a seleção da França durante a Copa, o ministro visitou o Estádio Santa Cruz, pertencente ao Botafogo, que servirá como centro de treinamento dos franceses ao longo da competição.

Na entrevista coletiva, após a visita desta terça-feira, Aldo foi questionado sobre os recentes atos racistas registrados no futebol brasileiro, como os que ocorreram com os volantes Arouca (Santos) e Tinga (Cruzeiro).

"É preciso punir o autor da ofensa racista de forma rigorosa. A multa é uma punição insuficiente. Não estou dizendo que é desnecessária. O torcedor racista tem que ser identificado e banido dos estádios", afirmou o ministro, lembrando que os casos de Tinga e Arouca resultaram apenas em multas para os clubes que mandaram o jogo. "Não podemos permitir que (o Brasil) se torne palco de manifestações racistas", completou.