Com mensagens, defesa tenta expor amor de Pistorius

Advogado de defesa observou que as mensagens tensas equivaliam a uma pequena fração das cerca de 1.700 extraídas dos aparelhos do casal

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Pistorius aguarda julgamento em liberdade após pagar fiança
Masi Losi
Pistorius aguarda julgamento em liberdade após pagar fiança

O principal advogado de defesa de Oscar Pistorius no julgamento do atleta paralímpico pelo assassinato de Reeva Steenkamp aproveitou esta terça-feira para tentar mostrar que o competidor tinha um relacionamento amoroso com a namorada que matou, apresentando mensagens em que eles trocavam carinho e elogios.

A ação contrasta com várias mensagens lidas no tribunal pela acusação na última segunda-feira, com discussões nas semanas anteriores ao assassinato entre Pistorius e Reeva. Nestas mensagens, a modelo escreveu que em alguns momentos sentia medo do atleta paralímpico por causa do seu comportamento, o que incluía explosões de ciúmes na frente de outras pessoas.

O advogado Barry Roux observou que as mensagens tensas equivaliam a uma pequena fração das cerca de 1.700 mensagens que o policial François Moller, um especialista em telefonia celular, extraiu de aparelhos do casal.

Roux, inclusive, mostrou um vídeo em que Pistorius e Reeva se beijavam em uma loja de conveniência. E ainda pediu para Moller ler uma mensagem do atleta paralímpico para a modelo: "Você é uma pessoa muito especial. Você merece ser cuidada", disse Pistorius.

O promotor-chefe Gerrie Nel questionou a relevância de mostrar o vídeo da loja conveniência e disse que poderia pedir ao tribunal para exibir outro, em que Pistorius atira em uma melancia, que explode no momento do impacto. Nel também disse que muitas mensagens de carinho entre o casal eram breves, em contraste com as discussões, que tinha mais profundidade.

Reeva foi morta por Pistorious no dia 14 de fevereiro de 2013, quando estava no banheiro da residência do seu namorado. O atleta defende que matou a modelo por engano, achando que se tratava de um invasor na sua residência. A promotoria acusa Pistorious de ter premeditado o assassinato.

Atendendo a um pedido da defesa de Pistorius, o julgamento será paralisado, sendo retomado na próxima sexta-feira para que testemunhas sejam consultadas. A avaliação tem outra pausa agendada, entre os dias 5 e 13 de abril. O veredicto do caso está previsto para ser dado em 16 de maio.

Leia tudo sobre: defesatentaamorpistoriusjulgamentofavoravel