Grávida morre após ser usada como 'escudo humano' pelo namorado

Adolescente de 16 anos, que era amigo de infância da vítima, confessou o crime, mas alegou que os tiros não eram para ela

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Carla estava grávida de quatro meses
Reprodução / Facebook
Carla estava grávida de quatro meses

Um adolescente de 16 anos foi detido, nessa segunda-feira (24), suspeito de ter matado uma grávida de 19 anos em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. O crime aconteceu no último fim de semana e os disparos seriam para o namorado da vítima, que seria de uma gangue rival a do atirador, e, ao perceber que seria atingido, colocou a vítima na frente para se defender.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, Carla Keteny Santos Pereira estava perto de uma padaria na rua Angico, no bairro Turmalina, quando foi atingida por um disparo, que atravessou as costas da jovem. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou a ser acionada, mas Carla não resistiu aos ferimentos e morreu em um hospital da cidade.

Ainda segundo a corporação, o menor e o namorado disputavam o comando do tráfico de drogas da região, e já teriam se desentendido outras vezes. O caso surpreendeu a família da vítima, uma vez que o suspeito e a garota eram vizinhos e amigos de infância.

“Minha prima tinha saído de casa para comprar um milho e fazer um arroz temperado. Nesse momento, o namorado dela estava na porta de sua casa e seguiram para a padaria, mas, antes de chegarem, o assassino atirou”, contou a dona de casa, que pediu para não ter o nome divulgado.

Ainda segundo a prima, Carla mantinha um relacionamento amoroso com o rapaz há muito tempo e estava grávida de quatro meses. “A Carla gostava muito dele e acredito que ela tentou intervir na discussão. Ela já havia defendido o namorado em outras situações”, explicou.

Sobre a informação que o namorado da prima teria envolvimento com o mundo do crime, a familiar não soube informar.

“Sei que a Carla era uma menina tranquila. Agora, sobre o namorado não sabia nada da sua história”, finalizou a mulher.

O suspeito foi preso na mesma rua do homicídio. Ele estava escondido na casa do líder de uma quadrilha e, ao avistar a viatura, tentou fugir pelos fundos do imóvel, mas foi capturado. Em conversa com os  militares, o adolescente confessou o crime e disse que tinha intenção de acertar o namorado de Carla e um outro homem, mas, ao perceber que ele ia atirar, o alvo puxou a namorada pelo braço e a colocou na sua frente.

Mesmo após balear a vizinha, o menor ainda atirou outras vezes para tentar acertar os rivais, mas eles não ficaram feridos. Ainda na versão dele, a arma utilizada na ação foi vendida. O adolescente foi levado para a delegacia da cidade e segue à disposição da Justiça. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave