Bellucci desfalca Brasil em duelo com Equador na Davis

O tenista, número 91 do mundo, vem sofrendo com problemas de desidratação

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Bellucci começará o ano disputando o qualifying do Aberto da Austrália
Reprodução/Facebook
Bellucci começará o ano disputando o qualifying do Aberto da Austrália

O brasileiro Thomaz Bellucci aumentou o seu período de afastamento das quadras ao anunciar, nesta terça-feira, que não vai participar do confronto com o Equador pela rodada final do Zonal Americano da Copa Davis, entre os dias 4 e 6 de abril, na cidade de Guayaquil. O jogador, número 91 do mundo, vem sofrendo com problemas de desidratação e comunicou o capitão do Brasil na Copa Davis, João Zwetsch, da sua decisão.

"Jogar a Copa Davis sempre foi uma prioridade para mim. Foi uma decisão muito difícil, mas tenho que pensar na minha saúde neste momento e achar uma solução para este problema. Minha equipe técnica e médica me aconselharam a não jogar e o João (Zwetsch) compreendeu perfeitamente a minha situação. Então, me sinto mais seguro em abrir mão da Copa Davis e não trazer nenhum prejuízo para a equipe, caso o problema volte a acontecer", explicou.

Após avançar às semifinais do Brasil Open, em São Paulo, Bellucci voltou a jogar na semana passada e abandonou a sua partida de estreia no qualifying do Torneio de Miami, diante do belga Ruben Bemelmans, por problemas de desidratação, o que já havia ocorrido no início de fevereiro, no Torneio de Buenos Aires. Assim, o número 1 do tênis brasileiro está passando por avaliações.

"Como já dissemos, o Thomaz tem uma perda hídrica importante. Precisaremos de pelo menos duas semanas de testes para melhor investigar tais sintomas e propor uma melhor relação de reposição energética e hídrica", destacou o médico do esporte Gustavo Magliocca.

Capitão do Brasil na Davis, Zwetsch garantiu compreender a decisão de Bellucci. E sem ele, convocou Rogério Dutra Silva (número 147 do mundo) e Guilherme Clezar (167 do mundo) para o confronto, além dos duplistas Bruno Soares (número 3 do ranking nas duplas) e Marcelo Melo (número 5).

"Eu e o Thomaz conversamos bastante e eu compreendi a sua decisão. Óbvio que ele gostaria de jogar, está sempre à disposição da Copa Davis, mas está ansioso por resolver seu problema, receoso em jogar em Guayaquil, que apresenta as mesmas condições climáticas de Miami, e trazer algum prejuízo à equipe. Espero que ele se recupere o mais rápido possível", afirmou.

Bellucci desistiu de defender o Brasil no confronto com o Equador na Davis, mas manteve o restante do seu calendário no circuito mundial. Assim, o seu próximo torneio agendado é o Masters 1000 de Montecarlo, em abril, no qual terá que participar do qualifying.

Leia tudo sobre: tenisthomaz belluccidesfalcabrasilcopa davis