“Fale Conosco” da Anglo American recebe, por dia, 16 acessos

Nesse universo, apenas 30, ou 1,76% do total, têm problemas considerados críticos pela mineradora. A empresa garante que todos serão resolvidos antes do início das operações

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Área rural de Nova Era teve nascentes destruídas além dos inconvenientes causados pela obra que passam em sua propriedade. Foto: Mariela Guimarães
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Área rural de Nova Era teve nascentes destruídas além dos inconvenientes causados pela obra que passam em sua propriedade. Foto: Mariela Guimarães

Todo mês, a Anglo American recebe cerca de 500 manifestações sobre o projeto Minas-Rio em seu canal “Fale Conosco”. Em média, são 16 pessoas que todos os dias procuram a empresa para relatar fatos relacionados ao empreendimento e todas, de acordo com o gerente geral de Desenvolvimento Social da Unidade de Negócios de Minério de Ferro da empresa, Maurício Martins, são respondidas em até sete dias.

O alto volume de manifestações não significa, na visão da mineradora, um número exagerado de problemas. De acordo com Martins, há relatos positivos, negativos e os que são considerados neutros. Nos 525 km do mineroduto e nas duas cidades que abrigam mina e porto, o empreendimento da Anglo American passa por 1.700 propriedades.

Nesse universo, apenas 30, ou 1,76% do total, têm problemas considerados críticos pela mineradora. A empresa garante que todos serão resolvidos antes do início das operações. “Não se obtém uma licença sem responder a todas as questões”, diz Martins.

Ele completa que o bom relacionamento com os atingidos é uma preocupação constante da mineradora. “Nossa premissa básica é respeitar essas comunidades. Conversar olho no olho, abrir canais de comunicação e respeitar a diversidade”, garante.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave