Hermes vai morrer em areia movediça

Alexandre Nero deixa a trama para se dedicar à novela “Falso Brilhante”

iG Minas Gerais |


Obcecado por poder e dinheiro, Hermes terá um fim trágico
GLOBO/Alex Carvalho
Obcecado por poder e dinheiro, Hermes terá um fim trágico

São Paulo. A saga do ardiloso Hermes (Alexandre Nero) chega ao fim, nesta semana, em “Além do Horizonte” (Globo). O personagem se despede da trama ao afundar em uma areia movediça, deixando Tereza (Carolina Ferraz) sozinha em sua guerra contra LC (Antonio Calloni).

O ator, porém, está satisfeito com a sua participação e diz ter saído da novela para estudar a fundo o protagonista que viverá em “Falso Brilhante”, próximo folhetim das nove, de Aguinaldo Silva. “Foi muito divertido fazer o Hermes”, avalia Nero.

Em cena programada para a próxima quinta, o vilão tenta recuperar o pingente que contém a parte final da fórmula da felicidade. Mas acaba sendo engolido por uma terra traiçoeira. “Foi interessante fazer a cena, mas a lama era cenográfica. Era água com coisas misturadas”, conta o ator. Esse é o fim do personagem. “Se foi condizente com a trajetória dele, não sei dizer. É como na vida: qual é a lógica de morrer ou não morrer?”, filosofa o ator.

Para os autores, a morte de Hermes foi uma boa saída. “Desde que começou o embate entre vilões, uma morte poderia acontecer. E a necessidade de Nero sair casou perfeitamente com essa ideia”, diz Marcos Bernstein, coautor com Carlos Gregório. “Hermes sempre se achou imbatível e será vítima de seu desejo por dinheiro e poder. Areia movediça existe mesmo, na Amazônia, e foi uma solução de morte que não se vê na TV”, resume Gregório.

A saída de Alexandre Nero movimenta a trama e a própria vida do ator, mas não abala radicalmente a estrutura da novela. “Não foram necessárias tantas adaptações, pois já estávamos encaminhando a história para isso”, diz Marcos Bernstein. Com a perda do companheiro, Tereza tem de encarar LC sozinha. “Ela fica vulnerável, mas não devemos subestimar sua força. É uma mulher ambiciosa”, conta o autor.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave