América protestará na FMF, mas Salum não tira merecimento da derrota

Nesta terça-feira, América irá na Federação para reclamar de atuação de Cleisson Veloso e Celso Luiz (auxiliar), que estavam no clássico da primeira fase

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

RODRIGO CLEMENTE/ OTEMPO
undefined
A vitória do Atlético para cima do América, no último domingo, pela semifinal do Campeonato Mineiro, não teve contestação por parte da diretoria do Coelho. Marcus Salum, presidente do conselho gestor do clube alviverde, porém, saiu esbravejando contra Cleisson Veloso Pereira - juiz do jogo - e Celso Luiz da Silva - o primeiro auxiliar. Salum irá na FMF reclamar e usa o argumento de que tentou evitar a utilização dos dois profissionais no duelo no Independência. O mandatário do Coelho lembrou que Cleisson e Celso estavam no jogo entre Galo e América na fase inicial, quando o Atlético virou o jogo para 3 a 2. "A escalação do árbitro foi estranha, pedimos para não escalá-lo lá na federação. O Cleison já nos prejudicou no último clássico. E o juiz, que depois conversou fiado com o nosso banco, também esteve no 3 a 2 (clássico da primeira fase do Mineiro)", afirmou Salum, ao Super FC. A diretoria do América ainda teve mais um motivo para ficar possessa. Segundo relatos de Salum, o bandeirinha chegou a 'conversar fiado' com o banco de reservas de Moacir Junior. Ao ser perguntado sobre o teor das palavras de Celso Luiz da Silva, o presidente americano preferiu não revelar, apenas explicou que o protesto americano, com o relato do auxiliar de arbitragem chegará ao poder dos torcedores. "Iremos, amanhã (terça-feira) entrar com uma representação na Federação Mineira. Você vai saber o que o bandeira falou para o nosso banco, vai ser público", disse o cartola.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave