Presidente da comissão de arbitragem da FMF defende Cleisson Veloso

José Eugênio diz que Cleisson Veloso Pereira teve atuação boa no clássico entre América e Atlético, mas irá conversar com bandeirinha

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

Otamendi comemora gol que gerou revolta de Marcus Salum, presidente do América
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Otamendi comemora gol que gerou revolta de Marcus Salum, presidente do América
O América não teve uma boa atuação contra o Atlético, perdeu por 4 a 1, mas saiu de campo na bronca com a arbitragem. O presidente do conselho gestor do Coelho, Marcus Salum, prometeu reclamar na FMF, mas o responsável pela área de arbitragem da Federação, José Eugênio, disse que o juiz Cleisson Veloso Pereira teve uma boa atuação. De qualquer maneira, mesmo que Cleison seja um alvo da reclamação alviverde, quem realmente tirou a paciência de Salum foi o primeiro auxiliar, responsável por validar um gol ilegal de Otamendi no começo da partida. O mandatário do Coelho afirmou que Celso Luiz da Silva provocou o banco de reservas do América. Questionado sobre isso, José Eugênio disse que irá conversar com o auxiliar e descreveu qual a recomendação que será dada. "Eu vou conversar com ele. Mas damos a orientação para que juízes e bandeirinhas não devem responder a nenhum membro de diretoria, comissão técnica ou jogador. Só tem que ouvir. Se ouvir alguma coisa que possa denegrí-los, então chama o juiz, e, posteriormente, deixa o episódio relatado na súmula do jogo", disse Eugênio, ao Super FC. O América não queria que Cleisson Veloso fosse o responsável pelo apito na tarde de domingo no Independência. Porém, Eugênio explicou que ele, ao lado de Emerson de Almeida Ferreira, eram os dois juízes mais preparados para o clássico e, juntos, entraram no sorteio. Cleisson venceu e convenceu a comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol.