Conmebol alivia e aplica multa de R$ 27,8 mil no Garcilaso por racismo

Time peruano poderia até ser eliminado da Libertadores, mas acabou escapando de uma punição mais dura

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Dilma posou com a camisa do Cruzeiro dada por Tinga
Divulgação
Dilma posou com a camisa do Cruzeiro dada por Tinga

O Tribunal Disciplinar da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou nesta segunda-feira que aplicou multa de US$ 12 mil (cerca de R$ 27,8 mil) ao Real Garcilaso-PER, pelos insultos racistas dos torcedores da equipe peruana contra o volante do Cruzeiro, Tinga, no jogo de estreia das equipes na Copa Libertadores da América, em 12 de fevereiro.

A punição ao Real Garcilaso-PER foi divulgada de forma oficial pela Conmebol, por meio do site da entidade, que alertou sobre reincidência envolvendo atos racistas. Caso haja repetição de práticas racistas por parte dos torcedores da equipe peruana, o clube poderá atuar com portões fechados em seus próximos jogos.

"A Conmebol reitera seu compromisso de combater qualquer forma de discriminação e atos racistas em suas competições. Reforçamos a vigilância das equipes arbitrais e dos delegados das partidas para advertir e denunciar este tipo de infração", comentou a entidade máxima do futebol sul-americano em nota. 

A diretoria do Cruzeiro pedia logo após o confronto entre as equipes penalidades duras ao Garcilaso, que acabou escapando de uma punição mais pesada.

Terceiro colocado no Grupo 5 da Libertadores, o Cruzeiro depende de uma “ajuda” do Garcilaso para seguir sonhando com as oitavas de final da competição. Os peruanos ainda enfrentam o Defensor-URU e o próprio Cruzeiro.

 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposareal garcilasolibertadoresracismoconmebol