Clubes alemães rejeitam tecnologia na linha do gol

Equipes da Bundesliga e da segunda divisão, em sua maioria, votaram contra a introdução da tecnologia nos campeonatos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

No passado, a maioria dos clubes alemães disse que a tecnologia não era suficientemente precisa
REPRODUÇÃO/FIFA
No passado, a maioria dos clubes alemães disse que a tecnologia não era suficientemente precisa

Os clubes alemães rejeitaram nesta segunda-feira uma proposta para introduzir a tecnologia na linha do gol. Uma reunião entre os 36 clubes da primeira e segunda divisões não conseguiu fornecer uma maioria de dois terços, necessária para implementar a tecnologia.

O presidente da Liga Alemã de Futebol, Reinhard Rauball, disse que apenas metade dos 18 clubes da primeira divisão votaram a favor da adoção de um sistema tecnológico. A rejeição dos times da segunda divisão foi ainda maior - apenas três de 18 apoiaram a proposta.

Os árbitros alemães, porém, se declaram a favor da tecnologia. Rauball disse que o resultado da votação significa que o "tópico foi arquivado" por enquanto. A liga testou quatro sistemas disponíveis.

No passado, a maioria dos clubes alemães disse que a tecnologia não era suficientemente precisa. Uma empresa alemã, a Goal Control, fornecerá esse tipo de tecnologia na Copa do Mundo do Brasil.

Em outubro do ano passado, a vitória do Bayer Leverkusen por 2 a 1 sobre o Hoffenheim, pelo Campeonato Alemão, ficou marcado por um "gol fantasma" do time vencedor. Naquela oportunidade, Kiessling cabeceou, a bola passou rente à trave, foi pela linha de fundo e bateu em buraco da rede, entrando na meta, o que enganou a arbitragem. Mesmo com esse erro, a maior parte dos clubes alemães permanece contra o uso da tecnologia na linha do gol.

Leia tudo sobre: futebolesporteclubesalemaesbundesligatecnologia linha gol