Minha Casa Minha Vida vira dor de cabeça para compradores

Unidades no bairro Nacional deveriam ter sido entregues pela construtora há mais de um ano

iG Minas Gerais | Jáder Rezende |

Prejuízo. O promotor de vendas Alysson Guimarães, que vai se casar, comprou uma unidade por R$ 106 mil e está morando de favor
JOAO GODINHO / O TEMPO
Prejuízo. O promotor de vendas Alysson Guimarães, que vai se casar, comprou uma unidade por R$ 106 mil e está morando de favor

A burocracia e a falta de informações precisas acerca da entrega de unidades do programa Minha Casa Minha Vida em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, estão tirando o sono de dezenas de consumidores que viram a oportunidade de realizar, enfim, o sonho da casa própria. As 192 unidades do condomínio São Domingos Life, no bairro Nacional, deveriam ter sido entregues pela construtora Tenda há mais de um ano, mas os compradores ainda não receberam as chaves. O empreendimento, aparentemente, está concluído, mas até o fechamento desta edição não contava com fornecimento de água e luz.

O impasse levou o promotor de vendas Alysson Guimarães Freitas de Souza, 30, a criar uma comunidade específica em uma rede social para tornar pública a questão. Alysson, que está prestes a se casar, comprou uma das unidades por R$ 106 mil, mas se viu obrigado a rever os planos.

“Nunca me deram uma resposta plausível na construtora. Uma hora dizem que o problema é falta de fornecedor, outra alegam que não há pessoal suficiente para concluir as obras. É um absurdo”, desabafa. Enquanto isso, sua noiva paga aluguel de R$ 400 e ele mora de favor na casa de uma tia.

O drama de Alysson é compartilhado por Karine Scoralick. Ela conta que encaminhou um e-mail para a empreiteira solicitando informações precisas sobre a entrega de sua unidade, mas prevaleceu o silêncio. “Já recebi várias cartas adiando a obra, uma para outubro de 2012, outra adiando para fevereiro de 2013, e mais outra adiando para outubro do ano passado, quando me chamaram para realizar a primeira vistoria, na qual constatei que havia várias avarias a serem reparadas. Me disseram, então, que em novembro me chamariam para fazer uma nova vistoria, porém isso não aconteceu”, conta, completando que outras duas notificações foram entregues pela Tenda, uma adiando a entrega para janeiro e outra para fevereiro deste ano. “É uma tremenda falta de respeito com o cliente. Tenho contato com vários compradores desse empreendimento que estão indignados com esta situação”, completa.

Por meio de nota, a Tenda disse que a obra já foi vistoriada e aprovada pela prefeitura. Alegou que o atraso ocorre devido a algumas exigências técnicas feitas posteriormente, das quais a empresa já entregou toda a documentação. Espera agora a resposta para iniciar a averbação em cartório, o que deveria ocorrer até o final da semana passada. Mas não informou quando as unidades serão entregues.

Desabafo

“Nunca me deram uma resposta plausível na construtora. Uma hora dizem que o problema é falta de fornecedor, outra alegam que não há pessoal suficiente para concluir as obras. É um absurdo.”

Alysson Guimarães de Souza - promotor de vendas, comprador de unidade residencial do programa minha casa minha vida

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave