Mônica em diversas versões

“Mônica Parade” chega a Belo Horizonte e é inaugurada hoje na Savassi com a presença de Maurício de Souza

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Titina Corso assina esta criação fotografada em 2013 em São Paulo
claudio pepper/divulgação
Titina Corso assina esta criação fotografada em 2013 em São Paulo

Vistas em São Paulo no fim do ano passado, as 20 esculturas inspiradas na personagem Mônica, criada por Maurício de Souza, aportam em Belo Horizonte, onde estão instaladas a partir desta segunda-feira em alguns lugares no entorno da praça da Savassi. Aqui, o criador da célebre figura dos quadrinhos participa da abertura da “Mônica Parade” nesta manhã ao lado de suas duas filhas, Mônica e Magali.

Catherine Duvignau, sócia diretora da empresa Toptrends, realizadora do evento, que trouxe em 2006 a “Cow Parade” para a capital mineira, espera alcançar na cidade o mesmo sucesso registrado entre os paulistas.

“Nós levantamos essa estimativa, mas lá imaginamos que tenha atraído muito mais público. Em Belo Horizonte não seria diferente porque o fascínio provocado pela Mônica não se deve apenas a um lugar específico. Ela é uma paixão nacional e sempre foi muito querida por pessoas de várias gerações, observa Catherine Duvignau.

Concebida durante a comemoração dos 50 anos da menina eternizada por Souza, a mostra traz esculturas cuja estrutura completa chega a medir 1,85m. Artistas como Alex Magrini, Alex Sena, Ana Lage, Bruno Honda, Danio Beyruth e Titina Corso assinam as peças em que Mônica é apresentada com diferentes faces e vestimentas, embora tenha sido mantida a silhueta rechonchuda que é sua principal característica.

“As pessoas vão poder apreciar de perto cada um delas que ficam na Savassi especialmente porque pensamos em um local com grande fluxo de pedestres. Isso facilita a visitação das pessoas, pois se as colocássemos no meio de uma grande avenida, por exemplo, dificilmente o público poderia chegar perto e provavelmente só conseguiria ver as obras de passagem em carro ou ônibus”, pontua Duvignau.

Como o conjunto não é tão vasto, a ideia é centralizar os trabalhos na mesma região. “Um pouco diferente de São Paulo, onde foram expostas 50 esculturas, em Belo Horizonte serão apenas 20 porque 30 delas foram leiloadas recentemente. Esse número é muito pouco para se espalhar os objetos pela cidade inteira. Nós sabemos que algo assim para dar certo tem que ocorre com um volume maior de peças, cerca de cem, por exemplo”, afirma a organizadora.

Em cartaz até 24 de abril, a mostra em seguida viaja para o Rio de Janeiro, onde completa a itinerância. “A gente espera que todo mundo fique feliz com a exposição e que as pessoas nos ajudem também a cuidar bem das nossas Mônicas”, diz Duvignau.

Agenda

O quê. Inauguração da mostra “Mônica Parade”

Quando. Hoje, a partir das 10h

Onde. Praça da Savassi

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave